A Google poderá pagar aos meios de comunicação pelo conteúdo que produzem. Ao que tudo indica, a criação de um serviço de subscrição de notícias poderá estar nos planos da gigante de Mountain View. De acordo com declarações de fontes internas ao The Wall Street Journal, a Google já entrou em negociações com alguns órgãos de comunicação europeus, na sua grande maioria franceses.

“Queremos ajudar o público a encontrar jornalismo de qualidade, pois este é importante para a criação de uma Democracia informada e de um sistema noticioso sustentável”, afirma a Google em comunicado à imprensa internacional.

Google investe 300 milhões de dólares contra as fake news
Google investe 300 milhões de dólares contra as fake news
Ver artigo

“Preocupamo-nos profundamente com este assunto e já estamos em conversações com possíveis parceiros”. A empresa acrescenta que também está à procura de formas de levar mais além o trabalho que já realiza com os media, tendo por base programas como o Google News Initiative.

A realização de acordos de licenciamento poderá ser um momento decisivo para os meios noticiosos. É verdade que a Google consegue gerar grandes quantidades de tráfego para os websites dos órgãos de comunicação, no entanto, a empresa nunca pagou diretamente pelo conteúdo presente na sua plataforma de notícias.

News Tab: nova aposta do Facebook em “jornalismo de qualidade” vai chegar já em outubro
News Tab: nova aposta do Facebook em “jornalismo de qualidade” vai chegar já em outubro
Ver artigo

Recorde-se que, em outubro de 2019, o Facebook anunciou os seus planos para lançar uma aba completamente dedicada a notícias na sua plataforma. De acordo com o The Wall Street Journal, a empresa liderada por Mark Zuckerberg deixou claro que estava disposta a pagar cerca de 3 milhões de dólares por ano a cada meio de comunicação que participasse no projeto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.