Desde 1 de janeiro que os residentes na Califórnia podem contar com uma lei em vigor que lhes dá o direito de impedirem que os sites vendam os seus dados pessoais. A partir de agora as empresas estão legalmente obrigadas a dar-lhes a oportunidade de verem de que forma as suas informações pessoais estão a ser rastreadas, vendidas e a desativarem essa possibilidade.

Pesquisa, redes sociais e pornografia dominam top mundial dos sites mais visitados
Pesquisa, redes sociais e pornografia dominam top mundial dos sites mais visitados
Ver artigo

Conhecida como California Consumer Privacy Act (CCPA), a lei, que data de 2018, aplica-se apenas a residentes na Califórnia, mas de acordo com o Business Insider já há muitos sites que estão a lançar estas ferramentas para todos os utilizadores. No entanto, algumas empresas já vieram colocar em causa esta lei, como foi o caso das gigantes tecnológicas Facebook e Google, que argumentam que estão isentas, tendo em conta que, na prática, não vendem as informações pessoais dos utilizadores. Em vez disso, usam esses dados para veicular anúncios publicitários consoante os seus interesses.

Mas de que forma é que os utilizadores podem exercer este direito? Explicamos em que consiste esta lei na fotogaleria.

 A lei exige ainda que todos tenham acesso aos mesmos serviços pelo mesmo preço, mesmo se optarem por não compartilhar as suas informações pessoais. Por isso, as empresas não podem cobrar mais dinheiro aos residentes da Califórnia se estes decidirem impedir as plataformas de venderem os seus dados.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.