A Comissão Europeia (CE) anunciou esta quarta-feira a primeira ronda de investimentos diretos em capitais próprios através do novo fundo do Conselho Europeu de inovação (CEI). Ao todo, serão apoiadas 42 empresas em fase de arranque, normalmente conhecidas como startups, e pequenas e médias empresas (PME), num orçamento total de cerca de 178 milhões de euros.

A CorWave, uma PME francesa, foi a primeira a receber investimento direto em capitais próprios, no valor de 15 milhões de euros. Como missão, a empresa pretende disponibilizar um novo padrão de cuidados de saúde a doentes com insuficiência cardíaca potencialmente mortal.

Em comunicado, a CE explica que o investimento do fundo do CEI mobilizou outros investidores. O resultado? 35 milhões de euros na quarta fase de financiamento de arranque da CorWave.

Este valor vai permitir à CorWave lançar no mercado e ampliar a sua solução médica "dispositivo de assistência ventricular esquerda". O objetivo é que este equipamento reduza para metade as complicações graves e a necessidade de um doente voltar para o hospital.

Para além da empresa francesa, já são conhecidas outras organizações que vão contar em breve com a ajuda europeia do fundo, com os acordos praticamente encerrados. Hiber, dos Países Baixos, XSUN de França, Geowox Limited na Irlanda e EPI-ENDO Pharmaceuticals EHF da Islândia são os nomes divulgados.

A importância deste fundo para as startups e PME

De acordo com a Comissão, os primeiros investimentos são antecedidos por uma avaliação "exaustiva" por peritos externos e por um processo de diligência supervisionado por profissionais e investidores externos no Comité de Investimento do Fundo CEI. Por fim, cabe ao Conselho de Administração do Fundo CEI tomar uma decisão final.

As 12 medidas prioritárias do Plano de Ação para a Transição Digital
As 12 medidas prioritárias do Plano de Ação para a Transição Digital
Ver artigo

Como a comissária Mariya Gabriel explica, este fundo pretende "colmatar o défice de financiamento das empresas altamente inovadoras, desbloquear investimentos privados adicionais e permitir-lhes a expansão pela Europa".

Criado em junho de 2020, o Fundo CEI é uma iniciativa que a Comissão define como "radical", e que pretende fazer investimentos diretos em capitais próprios e quase capital, entre 500.000 e 15 milhões de euros de empresas em fase de arranque e PME.

Esta é a primeira vez que a Comissão realiza investimentos diretos em capitais próprios ou quase capital, ou seja, investimentos nos capitais próprios de empresas em fase de arranque, combinados com uma subvenção, prevendo-se que as participações no capital variem entre 10% e 25%. Já no final de 2020, o Conselho Europeu de Inovação ajudou 38 startups e empresas "promissoras" em 176 milhões de euros. Essa foi a última ronda de financiamento do projeto-piloto do CEI, o EIC Accelerator, e recebeu mais de 4.200 candidaturas, o maior número de sempre.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.