A Nokia, o Facebook, a Cisco e a AT&T são as mais recentes gigantes tecnológicas  a cancelar a sua participação na edição deste ano do Mobile World Congress devido a receios de contágio com o Coronavírus. As quatro empresas juntam-se ao número de “desistências” confirmadas nos últimos dias, as quais incluem a LG, a Ericsson, a Nvidia, a Amazon e a Sony, a Intel, a Vivo e a NTT DoCoMo. Ao todo, são já 35 as empresas que não vão participar na feira tecnológica em Barcelona.

As preocupações com a segurança e o bem-estar de colaboradores, parceiros e clientes são a justificação apresentada pelas quatro empresas tecnológicas em comunicados à imprensa internacional. “Embora estejamos extremamente desapontados com o facto de não podermos participar no evento como tínhamos planeado, acreditamos que esta é a decisão mais correta dadas as circunstâncias”, indicou uma porta-voz da Cisco. No seu website, a Nokia indica que tomou uma abordagem semelhante à da Sony, uma vez que tem planeadas uma série de transmissões ao vivo para dar a conhecer ao público os lançamentos que tinha previsto para o MWC2020.

MWC2020: Com a lista de “desistências” a crescer, GSMA reúne conselho para decidir se realiza a feira
MWC2020: Com a lista de “desistências” a crescer, GSMA reúne conselho para decidir se realiza a feira
Ver artigo

O número crescente de “desistências” está a colocar em risco a realização do MWC 2020 e a pressão para a GSMA tomar uma decisão em relação ao rumo da feira tecnológica está a aumentar. Segundo a imprensa espanhola, a organização do evento terá convocado uma reunião de urgência do conselho para o próximo dia 14 de fevereiro, na qual o cancelamento da feira é uma das propostas a ser discutida, avança a Reuters.

O governo regional da Catalunha, a Generalitat, está também a trabalhar em colaboração com a GMSA. Em entrevista ao canal TV3, Alba Vergés, conselheira de saúde regional catalã, afirmou que a região está “mais preparada do que nunca”, indicando às empresas que têm receio de participar na feira tecnológica que não existem motivos para ter medo.

As preocupações com o surto de Coronavírus levaram também empresas como a Samsung a reduzir a sua presença na feira e tecnológicas como a ZTE e a TCL a cancelar as conferências de imprensa que tinham previstas no MWC 2020. Até à data, as três fabricantes mantêm a sua decisão de expor e participar no evento organizado pela GSMA, assim como a Huawei e a Xiaomi.

"Remédios" para o Coronavírus no MWC2020: autoquarentena e exclusão de participantes de países de alto risco
"Remédios" para o Coronavírus no MWC2020: autoquarentena e exclusão de participantes de países de alto risco
Ver artigo

Caso leve o evento avante, a GSMA porá em prática mais precauções além do conjunto de medidas de prevenção anteriormente anunciado. A entrada de participantes vindos da província de Hubei no evento não é permitida, sendo uma decisão poderá ter impacto no que toca à participação de empresas como a Lenovo, a Xiaomi, a Siemens ou a Schneider Electric, as quais têm representação na região chinesa. A GSMA também indicou que todos os indivíduos que estiveram na China terão de apresentar provas de como saíram do país, pelo menos, 14 dias antes do evento.

Nota de redação: A notícia foi atualizada com informação relativa ao número de empresas que cancelaram a sua participação no evento. (Última atualização: 11h35)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.