Em plena pandemia de COVID-19, o termo "layoff" começou a ser muito popular em todo o mundo. De acordo com dados da plataforma que rastreia as startups tecnológicas que optaram por esta medida, Layoffs.fyi, já foram colocados em layoff desde 11 de março perto de 35.000 colaboradores. De acordo com uma amostra de casos, esta opção afeta sobretudo os profissionais que trabalham na área das vendas, mas os engenheiros também não ficam imunes ao "congelamento" do emprego com redução de remuneração.

Com base numa análise de 17 listas com 2.485 empregados que foram colocados em layoff entre 11 de março e 30 de abril, o site mostra que os profissionais das vendas são os mais afetados, correspondendo a 29,95% do total, seguidos dos da área do "customer success". No top 3 estão ainda os engenheiros, com 13,7% dos profissionais a verem o seu emprego afetado.

Layoffs nas startups tecnológicas entre 3 de março e 30 de abril de 2020
Fonte: TechCrunch

Entre algumas das empresas tecnológicas que já colocaram trabalhadores em layoff estão a Trip Adivsor, com o CEO a anunciar medidas que vão afetar mais de 900 colaboradores. Não confirmada está a decisão da Uber de colocar 20% dos seus trabalhadores em layoff, notícia avançada pelo site The Information na semana passada.

Como se traduz a confiança no mundo das empresas tecnológicas em tempos de pandemia?
Como se traduz a confiança no mundo das empresas tecnológicas em tempos de pandemia?
Ver artigo

Em entrevista ao SAPO TeK, Frederico Rocha, partner da EDC, e Alexandre Silveira, marketing manager da HP, abordaram a questão da confiança em tempos de pandemia no mundo das empresas tecnológicas. Ambos os especialistas confirmam que as organizações irão sentir, naturalmente, o impacto da COVID-19, depois de um estudo ter divulgado que a tecnologia continua a ser o setor com o mais elevado nível de confiança, situando-se na ordem dos 75%.

De que forma é que a COVID-19 está a afetar as tecnológicas portuguesas?

Na plataforma Teamlyzer dedicada à pandemia, é possível verificar o impacto que a COVID-19 está a ter nas tecnológicas do país, havendo relatos de despedimentos, layoff ou da opção pelo teletrabalho. No entanto, alegadamente há também quem esteja a contratar, como é o caso da Vestas, no Porto.

No caso da Unbabel, recentemente eleita como uma das empresas mais inovadoras do mundo, há registos de despedimentos. "Já começaram a sair esta semana da Unbabel algumas das pessoas despedidas", pode ler-se, relativo a casos de há duas semanas atrás. Na lista que avalia o impacto da pandemia nas empresas portuguesas, estão ainda nomes como a Talkdesk, a 360 imprimir e a Microsoft Portugal.

Como explica a Segurança Social, o layoff consiste na redução temporária dos períodos normais de trabalho ou suspensão dos contratos de trabalho por iniciativa das empresas, durante um determinado tempo. Algumas das razões plausíveis para que isso aconteça são, precisamente, as "catástrofes" ou "ocorrências" que tenham afetado gravemente a atividade normal da empresa.

Nota de redação: Notícia atualizada com mais informação relativa à plataforma que está a reunir os dados sobre o impacto da pandemia de COVID-19 a 5 de abril, pelas 9h52

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.