Não tem qualquer atividade pública, mas tem o maior capital social do país: 29 mil milhões de euros. É esta a realidade peculiar da empresa portuguesa Yupido, que viu o seu processo ser arquivado pelo Ministério Público (MP), quase dois anos depois da abertura do inquérito.

Na altura, o caso suscitou dúvidas quanto à atuação do revisor oficial de contas que validou a avaliação da empresa e levou mesmo à abertura de uma investigação por parte do MP.

Quanto à atuação do revisor, terá sido suspenso por dois anos, mas nada aconteceu, em relação à avaliação da empresa. Ou seja, a ordem dos Revisores Oficiais de Contas não terá pedido uma nova avaliação.

De acordo com o JN e o Dinheiro Vivo, "o valor de 29 mil milhões de euros ultrapassa a soma do capital social das doze maiores empresas do país e logo levantou dúvidas sobre a legalidade da atuação da Yupido, que não tinha à data - e continua sem ter - qualquer atividade pública ou produto lançado".

Criada por Cláudia Alves e Torcato Jorge, a empresa portuguesa foi criada com um capital social de 243 milhões de euros. “O nosso capital social podia ser igual ao PIB português que isso não era crime", explicava Torcato Jorge no início do ano à SIC.

Quando foi fundada, a empresa tinha como objetivo desenvolver e comercializar soluções informativas de disponibilização de conteúdos multimédia, com base num algoritmo único. Segundo os dois jornais, continua sem existir atividade na Yupido e não terão sido cumpridas as metas para a contratação de 200 trabalhadores.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.