O crescimento da tecnologia em Portugal abrandou em 2019, num ano em que a tecnologia europeia tem um lugar de destaque na economia mundial. Os dados são do relatório publicado pela Atomico, em parceria com a Slush and Orrikck, o State of European Tech 2019.

Apresentando cinco tendências chave do setor tecnológico português, o documento conclui que, à medida que o mundo se focava no choque entre os governos americano e chinês e o mercado global sofria, a tecnologia europeia continuava, silenciosamente, o seu crescimento firme e sólido, apesar da queda de Portugal.

Face este panorma, Tom Wehmeier, parceiro e head of Insights na Atomico, e autor do relatório, considera que Tom Wehmeier, Parceiro e Head of Insights na Atomico, considera que “a tecnologia europeia continua a destacar-se na economia global, embora o foco da imprensa seja na turbulência dos mercados e na tecnologia global este ano”.

A economia europeia pode não estar imune, mas as suas empresas tecnológicas continuam a quebrar recordes nos últimos 12 meses

O relatório conclui que as empresas tecnológicas estão num bom caminho para a angariação recorde de mais de 26 mil milhões de euros de financiamento em 2019, quando esse valor era 22 mil em 2018. No entanto, em Portugal a situação é bastante diferente, prevendo-se que o financiamento desça até 66%, para 126 milhões, o que pode refletir o efeito da elevada ronda da OutSystems em 2018, no valor de 322 milhões em Portugal.

State of European Tech 2019
Startups europeias bem sucedidas

Ainda assim, Portugal está a crescer como um hub "deep tech", com este financiamento a atingir 89 milhões de euros em 2019 para o país. Este valor é igual a todos os financiamentos de deep tech nos últimos cinco anos, o maior avanço em financiamento, à exceção do caso da Roménia.

Regulação da tecnologia na Europa não é conhecida, mas Margrethe Vestager é considerada a pessoa mais influente na tecnologia europeia

No que diz respeito às normas da tecnologia europeia, a sua criação permanece um mistério para muitos fundadores europeus. Quando foi pedido para descreverem as principais prioridades da Comissão Europeia em termos de normas tecnológicas, 40% dos fundadores e colaboradores das startups dizem que não se sentem suficientemente informados para comentarem.

Concorrência: "Gostava de ter uma taxação das empresas digitais não só europeia mas global"
Concorrência: "Gostava de ter uma taxação das empresas digitais não só europeia mas global"
Ver artigo

Ainda assim, e apesar desta falta de sensibilização relatada acerca de problemas nas normas, todos os inquiridos votaram na comissária concorrência Margrethe Vestager, que no novo mandato quer aumentar o escrutínio às tecnológicas, como a pessoa que teve maior influência na tecnologia europeia em 2019, independentemente de ser boa ou má.

Parlamentaristas europeus não estão a conversar sobre fintech e saúde digital, dois setores onde os investidores depositaram €10 mil milhões no ano passado

Diversidade cultural e de género: números continuam a não satisfazer

Em 2019, entre Portugal e Espanha, 92% de financiamento foi todo para equipas compostas por homens, um nível semelhante ao de 2018. Nos dois países existe apenas uma mulher CTO nas 119 empresas, baseado numa amostra de executivos em altas posições em 251 empresas tecnológicas apoiadas por um fundo de investimento que angariaram uma ronda de série A ou B entre 1 de outubro de 2018 e 30 de setembro de 2019, com mais de oito milhões em financiamento, apesar de 7, 5% das engenheiras de software serem mulheres.

80% de inquiridos negros, africanos e caribenhos reportaram terem experienciado discriminação ligada à sua etnia

Fundadores europeus não estão apenas a pensar no sucesso comercial. Resolver alguns dos maiores problemas do mundo é a prioridade

Os dados indicam que um em cada cinco fundadores europeus afirma que a sua empresa já está a medir o seu impacto social e/ou ambiental, numa altura em que os trabalhadores estão a dar uma grande importância à responsabilidade social corporativa, com 57% a fazer referência a esta questão num questionário.

Como parte do relatório, a Atomico e a Slush and Orrick inquiriram 5.000 membros do ecossistema, incluindo 1.000 fundadores. Os poderosos dados do inquérito pintam um retrato explícito do tipo de pessoa que abre uma empresa tech na Europa: o bem-estar mental é uma preocupação constante, numa altura em que pessoas com antecedentes socioeconómicos mais baixos lidam tipicamente com barreiras financeiras para se tornarem empreendedores.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.