A Virgin realizou com sucesso o primeiro teste tripulado do seu Hyperloop, em que as questões de segurança estiveram entre as principais preocupações da empresa. O teste aconteceu este domingo nas instalações DevLoop, no Nevada, e consistiu na viagem de dois passageiros ao longo de um percurso de 500 metros.

De recordar que o Departamento de Transportes dos Estados Unidos e o Conselho NETT (tecnologia de transportes emergentes e não-convencionais) emitiram um documento com regulamento federal que serve de guia aos novos formatos de transporte emergentes. O documento visa formatos como veículos autónomos e até o hyperloop, que ainda que esteja sob a tutela da administração federal dos transportes ferroviários (FRA), é igualmente abrangido pela regulação.

Os dois primeiros passageiros que se candidataram ao teste foram Josh Giegel, o cofundador da startup apadrinhada pela Virgin, e Sara Luchian, responsável pelo departamento de experiência do passageiro, que era uma dos 40 candidatos a viajar com o líder do projeto nesta primeira experiência. A empresa refere que ambos realizaram testes intensivos e treinos para garantir que estavam preparados para esta viagem.

Entre os protocolos de segurança definidos, ambos estavam preparados para abandonar a cápsula e procurar os pontos de saída do tubo, caso algo corresse mal. E durante a viagem a dupla estava em constante comunicação com a central de controlo.

Relativamente à cápsula utilizada no teste, trata-se de um equipamento de segunda geração do Pegasus Pod XP-2, desenhado para transportar dois passageiros. Os assentos foram reforçados com cinco pontos de segurança, semelhante aos carros de corrida, mas tratou-se apenas de um reforço para o teste. No entanto, a Virgin explica que o veículo de produção será totalmente diferente, com lugar para 28 passageiros.

Durante a viagem, a cápsula circulou a uma velocidade limitada de 173 km/h, menos de metade dos 386 km/h que o veículo consegue atingir. Até porque os 500 metros do teste eram insuficientes para obter a velocidade máxima. Para já, o objetivo do teste foi demonstrar que o Hyperloop é seguro, pois assim é possível encorajar os reguladores e investidores a expandir o projeto. A Virgin encontra-se a construir novas instalações do Hyperloop em West Virginia e tem o apoio de 17 estados americanos.

tek virgin hyperloop

Existem pelo menos três empresas a desenvolver projetos em torno da tecnologia hyperloop: A The Boring Company de Elon Musk, que apesar de ser uma das precursoras do projeto, acabou por se direcionar para os túneis de alta velocidade usando automóveis; a Virgin Hyperloop One é uma aposta de Richard Branson na startup que conseguiu materializar a visão de Elon Musk.

Por fim, a Hyperloop Transportation Technologies talvez seja a que esteja mais bem posicionada, tendo apresentado a Quintero One, a primeira cápsula construída para transporte de passageiros. Tem 32 metros comprimento e uma cabine de 15 metros. A empresa descreve-a como "o meio de transporte mais seguro do mundo" devido à forma como se utiliza a fibra de carbono e outros compostos no desenvolvimento destas cápsulas.

 

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.