O presidente da Associação Nacional de Municípios, Fernando Ruas, e a vice-presidente da Comissão Política do PSD, Nilza Sena estão a pedir ao Governo que considere o adiamento da introdução da Televisão Digital Terrestre (TDT).

Recorde-se que Alenquer será a primeira localidade de Portugal a desligar o sinal analógico, já a partir de amanhã, 12 de Maio. Está previsto que o processo de migração para a televisão digital terrestre se estenda ao resto do país até Abril de 2012.

Na opinião do presidente da Associação Nacional de Municípios, neste momento o Governo não devia tomar decisões definitivas e que não são prioritárias. "Não sei se é possível pedir a um cidadão que mude para televisão digital e pague 200 euros. As pessoas não percebem. Penso que o Governo devia ponderar isto", comentou Fernando Ruas, citado pela TSF.

Em declarações à mesma rádio a vice-presidente da Comissão Política do PSD mostrou-se preocupada com o prejuízo que pode resultar para a campanha eleitoral o "apagão" analógico.

"Poderão existir neste período eleitoral famílias que ficarão ou poderão ficar privadas de ver televisão, sabendo nós que a televisão é fonte preferência de informação política, é potencialmente formadora da opinião", explicou Nilza Sena, defendendo que o processo poderá contribuir para "uma certa desmobilização", ou mesmo "potenciar o absentismo eleitoral".

Fora das zonas de teste, o sinal analógico será desligado faseadamente a partir de Janeiro de 2012, ano limite imposto pela União Europeia para a transição para a Televisão Digital Terrestre.

A primeira fase deste apagão está marcada para 12 de Janeiro na faixa litoral do território continental, a segunda para 22 de Março de 2012 nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, ficando os restantes emissores e retransmissores do país a emitir o sinal analógico até 26 de Abril de 2012.

Os televisores mais antigos não vão suportar as novas emissões de Televisão Digital Terrestre, que substituem a televisão analógica a partir desta data, necessitando de descodificadores, que entretanto já estão à venda.

A compra dos descodificadores que dão acesso à TV digital, para quem não tenha televisores preparados para permitir essa mudança sem custos, será subsidiada para beneficiários do rendimento de inserção social, reformados e pensionistas, bem como para cidadãos com deficiência igual ou superior a 60 por cento.

Os últimos dados divulgados pela Anacom apontam para a existência de 1,5 milhões de leres em Portugal que só recebem televisão em canal aberto e que vão ter de se preparar para a TDT.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.