Por Daniel Cruz (*)

 

Existem actualmente mais de mil milhões de computadores pessoais e mais de 500 milhões de smartphones e as consultoras preveem que o volume de dados gerados por estes dispositivos cresça mais de 600% nos próximos cinco anos, sendo que 80% deste total serão dados não estruturados. Para as empresas de média e grande dimensão, a capacidade de reunir, tratar e gerir toda esta informação no futuro será fulcral para o sucesso do seu negócio.

A necessidade de sistemas de armazenamento de dados fiáveis não é nova - as empresas recorrem tradicionalmente ao armazenamento de alta disponibilidade na altura de criar uma infra-estrutura de centro de dados que suporte as aplicações empresariais fundamentais. O que mudou foi o nível de urgência que as organizações enfrentam na hora de planificar e criar ambientes de armazenamento fiáveis. Esta maior urgência é resultado da elevada dependência dos dados e aplicações para manter o negócio em funcionamento e da crescente importância da análise de dados para prestar um melhor serviço aos clientes e descobrir novas oportunidades de aumento das receitas.

Fala sobre os desafios colocados às empresas na gestão do manancial de informação e sobre as novas tecnologias de armazenamento

Com estes novos desafios, estão a emergir algumas tecnologias de armazenamento como os sistemas Flash que podem proporcionar a fiabilidade de que as organizações necessitam. Imaginemos, por exemplo, o período das compras de Natal. Se os sistemas de armazenamento de um retalhista não fossem fiáveis e o acesso dos utilizadores estivesse impossibilitado, mesmo que apenas durante umas horas, poderia haver uma perda considerável de receitas, devido às oportunidades de vendas perdidas. Além do mais, os danos provocados na reputação de uma empresa que fosse considerada pouco fiável poderiam provocar a fuga de clientes e ter consequências ainda piores a longo prazo. Parece óbvio o motivo pelo qual dispor de um armazenamento de dados fiável não é algo somente recomendável, mas também um requisito vital do centro de dados moderno.

Mas esta realidade não se aplica apenas a grandes retalhistas durante épocas de grandes vendas. A necessidade de alta disponibilidade e de um armazenamento seguro aplica-se a organizações de todos os tamanhos e sectores. Acresce que as tarefas administrativas habituais, como a ampliação e reconfiguração da capacidade, a substituição de componentes defeituosos e outras tarefas de manutenção, e as actualizações de firmware, não podem provocar tempos de inactividade dos sistemas de armazenamento. No ambiente empresarial actual, que requer uma disponibilidade permanente, a infra-estrutura tecnológica serve de suporte a cada vez mais indicadores, como as receitas, a atenção ao cliente e a produtividade dos trabalhadores. A procura de aplicações empresariais sempre disponíveis não deixará de crescer à medida que as empresas acedam à era da “empresa digital” e utilizem cada vez mais a Cloud, aplicações para telemóveis, redes sociais, Big Data e análise para gerar novas oportunidades de crescimento.

A transição de aplicações anteriores para aplicações muito mais ágeis propiciada por estas «mega-tendências» tecnológicas — em conjunto com o aparecimento de tecnologias de armazenamento como a flash, a virtualização, a infra-estrutura convergente e o armazenamento baseado na cloud — tem obrigado as empresas a mudar a sua forma de abordar a temática do armazenamento de dados.

Estas mudanças estão a criar uma clara necessidade de tecnologias e arquitecturas de armazenamento capazes de satisfazer os requisitos de tempo activo, vitais para as empresas do presente e do futuro. As organizações que sejam capazes de proporcionar armazenamento fiável terão maiores probabilidades de se converterem em empresas digitais de sucesso.

 

 

(*) Territory Manager, NetApp Portugal

 

 

Nota: Este artigo não foi escrito ao abrigo do novo acordo ortográfico.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.