Talvez a maior curiosidade em torno do Mate 30 não seja quando será lançado, mas em que condições o novo topo de gama da Huawei chega ao mercado, ou seja, qual o sistema operativo que irá alimentar o smartphone. A fabricante chinesa acaba de confirmar o dia 19 de setembro para a apresentação e lançamento do dispositivo, em Munique, na Alemanha, deixando já o convite para assistir à conferência de revelação.

Através de um tweet na sua conta do Twitter, a Huawei deixou a mensagem enigmática “Rethink Possibilities” (repense possibilidades), deixando à interpretação livre do que esperar do novo flagship. Isto porque alegadamente a Huawei não tem a autorização da Google para utilizar o Android, segundo o The Verge, ainda acerca da proibição imposta pelo Governo dos Estados Unidos, o que levará a gigante tecnológica, literalmente, a “repensar as possibilidades”. E esta pode ser, ao mesmo tempo, a “faísca” que a Huawei necessitava para lançar oficialmente o seu sistema operativo, o HarmonyOS, apresentado recentemente.

Huawei já tinha registado o nome Harmony na União Europeia como sistema operativo para smartphones, e tem como plano substituir o Android, caso o Governo dos Estados Unidos avance com medidas de proibição contra a empresa, já que esta ainda não foi retirada da lista negra. E o novo sistema operativo pretende alimentar não só smartphones, como dispositivos inteligentes domésticos, tais como colunas de som e sensores ligados a sistemas IoT. A gigante chinesa já traçou mesmo o roadmap do seu sistema operativo para os próximos dois anos, incluindo a segunda e terceira versão do HarmonyOS. E já há analistas a preverem o posicionamento do SO da Huawei, com a Counterpoint a apontar 2% do mercado global dos sistemas operativos em 2020, e no mercado chinês pode representar até 5%.

Ainda sobre as medidas do Governo dos Estados Unidos sobre a Huawei, findo os três meses de licença concedidos, no último dia 19 de agosto, o executivo norte-americano prolongou por mais um trimestre a isenção à gigante chinesa para a compra de componentes a empresas americanas. Mas está tudo na mesma, já que a Huawei não foi retirada da lista negra. O representante da Google referiu que a licença temporária não se aplica a novos produtos, como o Mate 30, mas sim aqueles que já estavam autorizados.

O Huawei Mate 30 deverá estrear o novo processador Kirin 990, que a fabricante chinesa poderá apresentar esta semana durante a IFA, em Berlim. Há ainda rumores de que o smartphone terá um alinhamento de quatro câmaras, fabricadas em parceria com a Leica, na traseira, oferecendo um zoom ótico de 5X.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.