Dois asteroides passaram este fim-de-semana perto da Terra, na madrugada de sábado e domingo, e a NASA cedo garantiu que não havia perigo. Os dois asteroides têm cerca de 120 a 160 metros de diâmetro e outro, um pouco maior, surgiu com um diâmetro que pode ir até 650 metros. Os internautas puderam acompanhar este acontecimento através de uma live e o SAPO TEK compilou algumas das imagens do momento.

Mas quão "perto" da Terra estiveram estes dois asteroides designados por 2010 C01 e 2000 QW7? Como explicou a NASA dias antes, para se considerar que passaram perto da Terra os asteroides e cometas que orbitam o Sol têm de passar a menos de cerca de 48 milhões de quilómetros da Terra. Neste caso, passaram a seis milhões, o que corresponde a 14 vezes a distância que separa o planeta azul da Lua. À primeira vista até parece uma distância razoavelmente longa, mas em escala astronómica é considerada uma passagem à tangente.

A Agência Espacial Norte-Americana tem acompanhado estes dois corpos celestes porque a órbita faz com que passem repetidamente perto da Terra ao longo dos anos. Além disso, colisões de asteroides deste tamanho só acontecem a cada 10 mil a um milhão de anos, explica a NASA.

Mais recentemente, uma equipa de astrónomos descobriu o segundo “visitante” interestelar a passar pelo nosso sistema solar. Designado por C/2019 Q4 (Borisov), o corpo celeste que ainda não foi definido deve viajar a uma velocidade de 150.000 quilómetros por hora, encontrando-se a 420 milhões de quilómetros de distância do sol.

tek Bisov espaço tek Bisov espaço

Já no início de fevereiro deste ano, surgiram notícias sobre uma possibilidade, ainda que bastante reduzida, de um asteroide colidir com a Terra a 9 de setembro. Mas, em julho a Agência Espacial Europeia já tinha "descansado" a população, garantindo que não ia atingir a Terra. E assim foi.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.