Em abril a Intel anunciou que ia abandonar a produção de modems 5G para smartphones e agora a nova aposta passa por integrar essa tecnologia nos computadores. Para isso, a empresa americana vai contar com a ajuda da chinesa MediaTek, que vai desenvolver e entregar um modem 5G para PC.

Nos dois comunicados, as empresas garantiram que os primeiros equipamentos vão estar disponíveis a partir do início de 2021, sendo a Dell e a HP os primeiros fabricantes de equipamentos originais a disponibilizar PC com esta solução 5G. De acordo com a Intel, a integração desta tecnologia nos laptops vai "abrir as portas para novas experiências nos PC".

O que significa em concreto o negócio entre a Apple e a Intel?
O que significa em concreto o negócio entre a Apple e a Intel?
Ver artigo

Também Joe Chen, presidente da MediaTek, destaca a importância para os utilizadores, numa experiência a todos os níveis. "Com esta parceria, os consumidores poderão navegar, transmitir e jogar mais rapidamente nos seus PC, mas também esperamos que inovem com o 5G de formas que ainda não imaginamos”.

Numa fase inicial, a Intel irá definir uma solução específica de 5G focada na implementação nos principais segmentos de laptops, enquanto a MediaTek será responsável pelo desenvolvimento e fabrico do modem 5G. Para além disso, a empresa americana vai também desenvolver e validar a integração de hardware e software ao nível da plataforma, nomeadamente host drivers do sistema operativo.

As empresas também estão a trabalhar com a Fibocom no desenvolvimento de módulos M2 otimizados para a integração com plataformas de clientes Intel. Enquanto a primeira fornecedora de módulos desta solução, a empresa de comunicações wireless chinesa irá fornecer certificações e suporte de regulamentação, além de liderar o fabrico, vendas e de módulos 5G M.2.

Portugal no top 10 dos países da UE com mais testes de 5G mesmo sem estratégia nacional apresentada
Portugal no top 10 dos países da UE com mais testes de 5G mesmo sem estratégia nacional apresentada
Ver artigo

A parceria surge depois de em abril a Intel ter decidido abandonar o mercado 5G nos smartphones por considerar que não seria rentável, tendo em conta o anúncio nesse mesmo mês de um acordo entre a Apple e Qualcomm. Mais recentemente, em julho, a empresa da maçã anunciou o acordo da compra da divisão de modems de telemóveis da Intel, no valor de mil milhões de dólares.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.