Em declarações à CNBC, o CEO da Huawei, Richard Yu, cancelou o lançamento de um portátil devido à lista negra imposta pelos Estados Unidos que impede as tecnológicas americanas de fornecerem tecnologia às empresas chinesas. Em causa está o facto do novo Matebook X da Huawei estar equipado com processadores da Intel e claro, o sistema operativo e software da Microsoft.

O cancelamento do Matebook X fica marcado por ser o primeiro produto da Huawei a sofrer os efeitos da proibição em aceder a componentes tecnológicos produzidos nos Estados Unidos. “Não podemos lançar o PC”, referiu Richard Yu, mencionando que um lançamento numa data posterior vai depender do tempo que a Huawei estiver na lista de empresas proibidas. O portátil poderá correr o risco de ficar desatualizado se a crise se mantiver por muito tempo.

A tecnológica chinesa tem tentado contornar, ou pelo menos atenuar, os efeitos da proibição, nomeadamente a produção do seu próprio sistema operativo, que poderá chegar à China ainda este ano. Ainda assim, apesar de produzir os seus chips para smartphones, no caso dos portáteis ainda há uma grande dependência dos componentes americanos. Recentemente, a própria Microsoft retirou os portáteis da Huawei das suas lojas online, sem fazer grande alarido.

Richard Yu referiu ainda que adiou o lançamento global do esperado smartphone dobrável, o Huawei Mate X. Desta vez as razões não se prenderam com a proibição dos Estados Unidos, mas sim devido aos problemas registados pelo Galaxy Fold da Samsung. A empresa chinesa prefere não arriscar e executar mais testes para garantir a qualidade do seu produto. O smartphone era esperado ainda para este mês de junho, mas foi adiado para setembro, foi referido à CNBC. Os próprios produtores de software também ganharam mais tempo para garantir que as aplicações correm sem problemas em todas as formas do equipamento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.