O INESC Porto e a Marinha Portuguesa vão desenvolver sistemas robóticos marítimos para apoiar acções de busca e de salvamento. Pretende-se que estas ferramentas sejam capazes de encontrar sobreviventes humanos em situações de catástrofe, libertando assim as equipas de salvamento das tarefas mais difíceis e perigosas.



Equipados com sensores para detecção de humanos e dotadas de capacidade de comunicação com o exterior, estes robots marítimos vão ter um elevado grau de autonomia para dar resposta em cenários complexos.



Num cenário ideal, estas tecnologias serão capazes de assumir o papel de veículo automático de assistência às primeiras unidades de intervenção em caso de catástrofes. Pretende-se que estes equipamentos robóticos autónomos assistam as buscas, auxiliem as equipas de salvamento a lidar com as tarefas mais difíceis e perigosas, tais como encontrar sobreviventes humanos, e, desta forma, ajudem a proteger vidas humanas.



Esta actividade conjunta entre o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores do Porto e a Marinha Portuguesa e o Centro de Investigação Naval da Marinha Portuguesa insere-se na componente marítima do projecto europeu ICARUS.



Os trabalhos arrancam em Janeiro de 2012 e as primeiras ferramentas robóticas marítimas desenvolvidas no âmbito do ICARUS deverão estar prontas já em 2013.



Para além da participação conjunta neste projecto europeu, refira-se que o Centro de Investigação Naval da Marinha Portuguesa e o INESC Porto têm mantido colaboração noutras áreas, desde o desenvolvimento de embarcações à vela autónomas a sistemas de protecção marítima.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.