Registando a predominância de infecções recorrentes, a lista dos dez vírus mais frequentes em 2003 da Panda Software mostra, segundo a fabricante, que existem demasiados utilizadores com um falso sentido de segurança ou que simplesmente desconhecem as ameaças a que os PCs estão sujeitos.



W32/Bugbear.B, W32/Klez.I, Trj/PSW.Bugbear.B, W32/Blaster e W32/Parite.B surgem, por esta ordem, nos cinco primeiros lugares da lista dos vírus informáticos mais frequentes durante 2003, elaborada com base na ferramenta online Panda ActiveScan. As restantes posições são respectivamente ocupadas pelas ameaças W32/Mapson@MM, W32/EnerKaz, Trj/JS.NoCLose, W32/Bugbear e W32/Bugbear.B.Dam.



Ao contrário do verificado anteriormente, em que os códigos maliciosos se propagavam muito depressa mas desapareciam em pouco tempo, a Panda afirma que este ano as infecções foram principalmente causadas por vírus como o Bugbear.B, o Klez.I ou o Parite.B, cuja proliferação não diminuiu tão depressa.



Dado que sempre que aparece um novo vírus, os fornecedores de antivírus disponibilizam imediatamente os seus patches aos utilizadores, é de estranhar que o Klez.I - que surgiu pela primeira vez em Abril de 2002 - tenha sido um dos vírus a causar o maior número de infecções no decorrer do ano passado.



Para a Panda, o impacto de "veteranos" como o Klez.I em 2003 é um sinal claro da quantidade de PCs que não estão protegidos com um antivírus, ou que contêm um antivírus desactualizado. Uma conclusão igualmente reforçada pelo facto de não existirem vírus mais recentes nesta lista.



Da lista sobressai ainda a importância da "família" Bugbear, já que foi possível encontrar quatro membros na classificação dos "Dez Mais" da Panda, liderada pelo Bugbear.B.



Segundo a Panda, as principais razões apontadas pelos utilizadores para justificarem a falta ou desactualização da protecção nos seus computadores são a utilização pouco frequente da Internet ou o acesso a sites já conhecidos e a troca de mensagens de correio electrónico apenas com amigos e familiares. É igualmente mencionado o pouco conhecimento do assunto ou a escassa preocupação com o mesmo e o custo dos programas antivírus, que alguns consideram dispendiosos.



"É importante que os utilizadores conheçam os riscos colocados pelos vírus informáticos, tomem medidas de prevenção, e tenham noção da importância de utilizar um antivírus eficaz devidamente actualizado", aconselha a Panda Software, em comunicado enviado à imprensa, porque "só dessa forma poderão minimizar as perdas de informação e de produtividade que as infecções por vírus podem provocar e que se reflectem em perdas económicas significativas".



Notícias Relacionadas:

2003-11-04 - Ameaças blended crescem 20 por cento na primeira metade do ano

2003-11-03 - Mimail.c ataca empresas e estende-se a utilizadores domésticos

2003-08-22 - Portugal novamente na lista dos países mais afectados pela onda de vírus

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.