Um levantamento feito pela Scamadviser, plataforma dedicada a ajudar utilizadores a verificarem a legitimidade das páginas de internet, refere que um em cada 10 websites de e-commerce em Portugal não oferecem as devidas proteções de segurança. No estudo, 1,7% dos websites analisados levantam sérias reservas de segurança e 9,6% obrigam os utilizadores a terem um cuidado adicional, adianta a ferramenta. A Scamadviser faz parte da ecommerce Foundation desde 2018, a organização que reúne empresas e ONG a nível mundial.

A plataforma tem 22,5 milhões de websites na sua base de dados, avaliados com base em algoritmo que compila dados de 40 fontes independentes. Segundo é explicado, o sistema tem em conta o endereço IP do servidor Web, os dados de contato no respetivo site, assim como a idade do URL, e as análises em outros websites, assim como outras verificações. Para além dos alertas aos consumidores de eventuais esquemas online, tais como lojas online que nunca enviaram os seus produtos, mantém ainda informação sobre potenciais websites de phishing, spammers e plataformas que vendem produtos contrafeitos.

A plataforma acompanha 51.235 websites de compras em Portugal, e na avaliação feita 1,7% dessas plataformas obtiveram pontuações de confiança abaixo dos 30%. Isto significa que 890 sites podem estar ligados a fraudes. Por outro lado, há 4.905 websites de ecommerce com pontuações abaixo dos 70% de confiança (9,6% do total), obrigando os utilizadores a terem cuidados redobrados durante as transações e a verificarem a segurança da página.

Segundo os dados, Portugal tem uma confiança média de 89% relativo ao comércio eletrónico, o que coloca Portugal na 16ª posição entre os países mais seguros da União Europeia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.