A Disney anunciou a conclusão da compra da 21st Century Fox por 71,3 mil milhões de dólares (o equivalente a 61,5 mil milhões de euros). A aquisição inclui os estúdios de cinema e de televisão da Fox, os canais FX e National Geographic e a gigante indiana Star India. Também como parte do negócio, a Disney duplicou a sua participação no serviço de streaming Hulu, passando de 30% para 60%.

Até ao final do ano a Disney prevê ainda lançar o seu próprio serviço de streaming, o Disney Plus, com o objetivo de concorrer com a Netflix e a Amazon. Citado pelo Guardian, o CEO da Disney considera tratar-se de "um momento histórico" para a empresa. Na opinião de Robert Iger, "a combinação da riqueza do conteúdo criativo da Disney e da 21st Century Fox cria uma empresa de entretenimento global que se destaca das outras, bem posicionada para liderar numa era incrivelmente dinâmica e transformadora".

Rupert Murdoch, antigo proprietário da 21st Century Fox, escreveu uma carta aos funcionários da empresa dois dias antes da conclusão do negócio, agradecendo-lhes o trabalho prestado. De acordo com previsões de especialistas, o negócio poderá levar ao corte de 4 mil empregos, apesar da notícia de que mais de 15 mil trabalhadores da Fox serão integrados na Disney. Murdoch irá manter a Fox News e a Fox Sports na sua recém-formada Fox Corporation, para onde transitam cerca de 7 mil trabalhadores da antiga 21st Century.

Como consequência desta aquisição, termina a era dos "Seis Grandes" estúdios de Hollywood. Warner Brothers, Universal, Sony Pictures e Paramount formam com a Disney, a partir de hoje, um novo grupo de cinco grandes estúdios.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.