A notícia foi avançada pelo Jornal de Notícias (acesso pago) que dá conta de que os piratas desviaram milhares de euros de cartões de crédito para criptomoedas. De acordo com o jornal, em poucos minutos os utilizadores viram esgotado o seu saldo, entre cinco a 10 mil euros, que foi transferido para corretoras de criptomoedas.

Os hackers terão recorrido a phishing para obter os dados pessoais dos utilizadores lesados. A Wizink garantiu à mesma fonte que não houve falhas de segurança e que as operações foram autenticadas.

O jornal refere citações de dois casos, um dos quais foi alertado pela SIBS para um movimento estranho no cartão. Nesse dia perdeu 4.918,45 euros.

Descubra oito conselhos para se manter seguro enquanto faz compras online
Descubra oito conselhos para se manter seguro enquanto faz compras online
Ver artigo

O Banco de Portugal já estará a investigar o caso e pede aos lesados para apresentarem queixa, adiantando que a matéria criminal será remetida às autoridades policiais. Diz ainda que a entidades financeira, a Wizink, deve demonstrar que a operação foi autenticada.

O phishing é um dos ataques mais comuns e a Check Point refere que nos meses de abril e maio atingiu um pico em Portugal, tendo aumentado já 200% desde janeiro. O Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) aponta também para o aumento de crimes relacionados com o uso fraudulento de cartões de crédito.

Um relatório da  Feedzai, a tecnológica especializada em  detetar crimes financeiros, indica que o número de ataques com fraudes bancárias aumentou significativamente no primeiro trimestre no ano. As mais comuns são as fraude bancária online também aumentou, perfazendo 93% do total de tentativas identificadas.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.