Costuma dizer-se que não há duas sem três e no universo dos “unicórnios” Made in Portugal, a Talkdesk confirmou o ditado ao seguir as pisadas da Farfetch e da OutSystems e ao alcançar uma valorização acima dos mil milhões de dólares.

Criada em 2011 por Tiago Paiva e Cristina Fonseca, a Talkdesk criou um serviço que permite aos clientes instalarem, sem necessidade de servidores, telefones ou quaisquer outros dispositivos para além de um computador, centros de contato baseados na nuvem.

Startup portuguesa distinguida como uma das empresas mais empreendedoras nos EUA
Startup portuguesa distinguida como uma das empresas mais empreendedoras nos EUA
Ver artigo

A tecnológica, que tem na sua carteira clientes como a Glintt, a Dropbox ou, em Portugal, o Grupo Avillez, pretende usar este investimento para expandir o negócio nos EUA, onde se encontra sediada, e na Europa, bem como para apostar na investigação e desenvolvimento.

Os objetivos passam também por “olhar para outras geografias onde a empresa já tem clientes” e por, até ao final do ano, abrir escritório em Londres para atacar de forma mais sólida “o maior mercado na Europa na área dos centros de contato”.

TalkDesk com 100 vagas para preencher novo escritório no Porto
TalkDesk com 100 vagas para preencher novo escritório no Porto
Ver artigo

Com escritórios em São Francisco, Salt Lake City, Lisboa e Porto, a Talkdesk  quer aumentar no próximo ano para 50 o número de pessoas que integram a equipa comercial em Portugal, que actualmente é de 10.

A Talkdesk tornou-se, assim, a startup portuguesa que mais rapidamente entrou para o "mundo mitológico" das empresas avaliadas em mais de mil milhões de dólares, ultrapassando a Farfetch que demorou oito anos a alcançar este patamar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.