A Uber vai despedir cerca de 350 trabalhadores. O anúncio foi feito esta segunda-feira e as equipas afetadas pela decisão são as responsáveis pelo serviço Uber Eats e pelo projeto de veículos autónomos da empresa. Num email interno, o CEO, Dara Khosrowshahi, descreve a medida como "difícil, mas necessária".

Este é o terceiro despedimento coletivo da Uber em 2019. Em julho, a empresa despediu 400 colaboradores do departamento de marketing e, em setembro, foram 435 os engenheiros dispensados. Para além dos despedimentos, há também relatos de que vários colaboradores estão a ser convidados a assumir posições noutros departamentos da gigante norte-americana.

Em agosto, a Uber comunicou ter perdido 5 mil milhões de dólares só no segundo trimestre de 2019. O valor foi inflacionado pela cobrança de um valor associado à oferta pública de aquisição da empresa. Em média, a empresa tem registado perdas na ordem dos mil milhões de dólares por trimestre. Os resultados do terceiro trimestre serão lançados já em novembro.

Uber ultrapassa pela primeira vez marco de 100 milhões de utilizadores num mês, mas prejuízos continuam
Uber ultrapassa pela primeira vez marco de 100 milhões de utilizadores num mês, mas prejuízos continuam
Ver artigo

Estes 350 trabalhadores representam 1% de todos os colaboradores da empresa, pelo que a poupança nos seus ordenados será residual quando comparada com os valores acima mencionados.

Recorde-se que, em março de 2018, um veículo autónomo da Uber colidiu e matou uma pedestre, suspendendo assim todos os testes em estrada que a empresa estava a conduzir com carros deste género. Os testes foram recuperados em dezembro do ano passado, e apesar do investimento da Toyota, ainda não se sabe nada acerca de um possível lançamento comercial.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.