A informação é relativa ao ano de 2020, durante o qual as receitas de pacotes de serviços aumentaram 5%, representando 1,7 mil milhões de euros, contabiliza o regulador do mercado de comunicações.

São os pacotes mais completos que continuam a dominar na preferência dos utilizadores, com os pacotes 4P/5P - que incluem TV, internet fixa, telefone fixo e móvel e/ou também internet móvel -  a representarem 63,1% do total das receitas nesta área. E continuam a ser o mix de serviços que mais cresce, ganhando mais 112 mil assinantes no último ano.

No relatório a Anacom indica que 88 em cada 100 famílias são já subscritoras de pacotes de telecomunicações, o que corresponde a 4,2 milhões de famílias, mais 181 mil do que no ano de 2019. Mesmo assim, "o crescimento do número de subscritores de pacotes encontra-se em desaceleração desde 2015, tendo atingido as menores variações anuais relativas em 2018 (3,9%) e em 2020 (4,4%)", refere a entidade reguladora do mercado.

Em temos de operadoras, a MEO mantém-se como o fornecedor de telecomunicações com maior quota de subscritores de serviços em pacote (40,5%), ficando em segundo lugar o Grupo NOS (36,5%), a Vodafone (19,3%) e o Grupo NOWO/Onitelecom (3,5%). Só a Vodafone e a MEO aumentaram a sua quota mercado, com subidas de o,7 e 0,2 pontos percentuais, respetivamente, enquanto o Grupo NOS e o Grupo NOWO/Onitelecom descem -0,6 pontos percentuais e -0,3 pontos percentuais, respetivamente.

MEO ultrapassa NOS e ganha liderança do mercado de TV paga. Serviços chegam a 89,3% das famílias
MEO ultrapassa NOS e ganha liderança do mercado de TV paga. Serviços chegam a 89,3% das famílias
Ver artigo

Mas o equilíbrio é diferente quando se olha para as receitas de serviços, onde é o Grupo NOS que lidera, com 41%, seguindo-se a MEO muito próxima com 40,7%, a Vodafone  com 15,9% do total das receitas de pacotes e o Grupo NOWO/Onitelecom com 2,4%.

Portugueses gastam em média 42,6 euros por mês em serviços de telecomunicações em pacote

Os dados partilhados pela Anacom mostram também o gasto médio de cada assinante por mês, qye é de 34,69 euros, sem IVA, o que corresponde a 42,6 euros e está 0,4% acima do que se registava em 2019. É uma duplicação do crescimento no ano anterior, que tinha sido de 0,2%, nota o regulador.

O valor varia também consoante o tipo de pacote pelo qual as famílias optam. Nas ofertas 4/5P o valor médio até desceu 3,4% para os 43,79 euros (53,8 euros com IVA), enquanto nos pacotes menos completos, o 3P, o preço subiu 4,2% para os 27,34 euros (33,62 euros com IVA).

Entre os 4,2 milhões de assinantes de serviços em pacote a Anacom indica que cerca de metade, 2,1 milhões, optam pelas ofertas mais completas, as chamadas 4/5P. Seguem-se as ofertas 3P que contam com 1,7 milhões de assinantes

Nota da Redação: A notícia foi atualizada com mais informação. Última atualização 13h05

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.