A Anacom revelou dados sobre o serviço de distribuição de televisão por subscrição, salientando que 89,3% das famílias portuguesas estão servidas no primeiro semestre de 2020, um aumento de 3,3% face ao mesmo período do ano passado. Segundo a entidade reguladora, a MEO passou a ser o prestador com a quota de assinantes do serviço de TV mais elevada (39,8%), ultrapassando a NOS que desce para os 39,7%, enquanto a Vodafone sobe para 16,7% e a NOWO também desce, para os 3,7%.

O número de assinantes deste serviço chegou aos 4,15 milhões, mais 165 mil (4,1%) do que no período homólogo do ano passado. "Trata-se do maior crescimento anual em termos absolutos e relativos verificado desde 2016", refere a Anacom, que indica que este crescimento deve-se às ofertas suportadas em fibra ótica (FTTH), que registaram mais 263 mil assinantes face ao mesmo período do ano anterior (14,8%), ultrapassando os dois milhões de acessos. Já no primeiro trimestre tinham sido registados números recorde.

As principais formas de acesso ao serviço são a FTTH (fibra ótica) com 49% da totalidade dos assinantes, seguindo-se a televisão por cabo com 31,9%, o DTH com 11,1% e ADSL com 8%.

TV paga regista "maior crescimento anual" desde 2016. 160 mil novos clientes no 1º trimestre de 2020
TV paga regista "maior crescimento anual" desde 2016. 160 mil novos clientes no 1º trimestre de 2020
Ver artigo

O regulador registou neste primeiro semestre uma desaceleração da tendência de queda do número de assinantes de DTH e de ADSL, assim como da tendência de crescimento do número de assinantes de FTTH. A Anacom acredita que esta evolução tenha sido gerada pelo impacto da COVID-19 sobre a atividade dos prestadores dos serviços e claro, as necessidades dos utilizadores. Foi também observado um efeito causado pela redução da mensalidade das ofertas 3P por satélite durante o semestre.

Por fim, é referido que a Vodafone e a MEO captaram mais assinantes, em termos líquidos, quando comparado com o mesmo período de 2019. As suas quotas do mercado subiram 0,9% e 0,3%, respetivamente. Do outro lado, a NOS diminuiu a sua quota em 0,9% e a Nowo em 0,3%.

A MEO já era líder nos pacotes de serviços e no primeiro trimestre de 2020 a Anacom indicava que a operadora do grupo Altice detinha 40,4% da quota de mercado dos serviços com ofertas agregadas. As ofertas de ofertas 4 e 5P (TV, Internet, Voz e Móvel) foram as que mais cresceram nos primeiros três meses do ano, com mais 126 mil novos clientes, enquanto que o 3P obteve 64 mil novos utilizadores.

Segundo os dados, no primeiro trimestre, as ofertas 4/5P foram as mais utilizadas, somando 2,05 subscritores, representando quase metade dos clientes totais de serviços em pacote (49,9% dos clientes totais de pacotes). As ofertas 3P representam 1,64 milhões de clientes, ou seja, 39,8% do total.

Na análise do primeiro semestre a Anacom refere que o estado de emergência associado à COVID-19 não teve impacto significativo sobre o total de subscritores de pacotes. Durante os três primeiros meses do ano, as receitas dos serviços em pacote rondaram os 429,6 milhões de euros, o que representa um aumento de 5,3% face ao mesmo período de 2019.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.