A Coreia do Sul foi o primeiro país a lançar uma rede 5G comercial em abril de 2019 e, passados pouco mais de três meses, 1,34 milhões de pessoas já tinham aderido à tecnologia. Um ano depois, mais de 6 milhões de sul coreanos já têm subscrições à rede móvel de quinta geração, perfazendo cerca de 10% de todas assinaturas de serviços móveis no país.

O número de subscrições a serviços móveis 5G atingiu os 6,3 milhões no final de abril deste ano, significando um aumento de 8% em relação ao mês anterior. De acordo com dados do Ministério da Ciência e das TIC da Coreia do Sul divulgados pela imprensa local, o número de clientes da rede 5G da SK Telecom equivale a 45% do total de subscrições, seguindo-se a KT, com 30% e a LG Uplus com 25%.

À Yonhap, uma das principais agências noticiosas sul coreanas, a SK Telecom indicou que, embora esteja ainda a contabilizar os dados oficiais, estima que o número de subscrições à rede 5G da operadora tenha atingido os 3,1 milhões em maio. Já a KT contava com cerca de 2 milhões de subscrições no final de abril e a LG Uplus com 1,7 milhões.

Recorde-se que, em maio, as previsões da Ericsson davam conta de uma adesão mundial ao 5G na escala de 100 milhões de subscrições até ao final de 2020. Depois de já se registarem 13 milhões de utilizadores neste ano, a empresa espera que o número escale devido à redução do preço dos smartphones com suporte à tecnologia, com os preços a fixarem-se nos 300 dólares.

Anacom retoma consulta pública do 5G e fecha processo a 3 de julho
Anacom retoma consulta pública do 5G e fecha processo a 3 de julho
Ver artigo

Numa conferência de imprensa online acerca do ponto de situação do 5G, Nuno Roso, responsável pela área de serviços digitais da Ericsson em Portugal, admite ainda que também a cobertura vai ser alargada fora das cidades e que o leque de serviços vai aumentar, tornando mais fácil o crescimento do número de utilizadores.

Em Portugal, o processo de libertação do espectro da TDT e o arranque do leilão do 5G ficaram em suspenso devido à pandemia de COVID-19. Com a entrada do país em processo de desconfinamento, a Anacom revelou no início de junho os novos planos e procedimentos da consulta pública do projeto de regulamento do leilão para a atribuição de direitos de utilização de frequências para o 5G e restantes faixas relevantes (700 MHz, 900 MHz, 1800 MHz, 2,1 GHz, 2,6 GHz e 3,6 GHz).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.