O anúncio de que o surto de COVID-19 se tinha elevado a uma pandemia fez soar ainda mais alto os alarmes de perigo em inúmeros países. Pelo mundo, as operadoras de telecomunicações vão tomando medidas com vista a facilitar o cumprimento da prevenção e controlo de infeção, ajudando a população que agora trabalha ou estuda em casa a ter um melhor acesso à Internet.

Em Portugal, a Altice (MEO), a NOS e a Vodafone anunciaram que, a partir de 17 de março, vão oferecer 10GB de dados por causa do COVID-19. A medida quer permitir aos utilizadores o acesso à Internet fora dos locais de trabalho, já que muitos trabalhadores estão agora em regime de teletrabalho, procurando evitar o contágio em situações de quarentena voluntária.

Operadores de telecomunicações oferecem 10GB de dados por causa da COVID-19
Operadores de telecomunicações oferecem 10GB de dados por causa da COVID-19
Ver artigo

Em Itália, um dos países europeus mais fortemente afetados pela pandemia de COVID-19, são várias as operadoras de telecomunicações que se juntaram numa campanha de solidariedade digital. A italiana Tim, por exemplo, decidiu estender a todo o país as medidas que tinha aplicado anteriormente à “zona vermelha”. Entre elas estão um plano de dados móveis ilimitados durante um mês, assim como chamadas sem limites para números da rede fixa. A Vodafone também está a ajudar as empresas que têm de recorrer ao trabalho remoto através planos gratuitos de chamadas e acesso à Internet.

A Telefónica, uma das maiores operadoras de telecomunicações em Espanha, anunciou em comunicado à imprensa que vai oferecer 30 GB de dados móveis adicionais durante os próximos dois meses aos clientes dos planos Fusion e Movistar. Além disso, vai modificar a oferta no que toca aos canais de TV de forma a que mais clientes tenham acesso gratuito a conteúdos desportivos e para crianças. A Orange, a MásMóvil e a Vodafone vão também oferecer gratuitamente dados móveis aos clientes, avança o El Mundo.

Em França, a Free, uma subsidiária da operadora de telecomunicações francesa Iliad, foi a primeira a anunciar medidas semelhantes. Em comunicado à imprensa, a empresa afirma que até ao final de abril, todos os 5 milhões de utilizadores do plano mais barato, utilizado frequentemente por estudantes, terão direito a 1 GB de dados móveis em vez dos habituais 50 MB.

As duas maiores empresas fornecedoras de acesso à Internet norte-americanas anunciaram que estão a fazer alterações aos serviços de banda larga que disponibilizam em resposta ao elevado número de norte-americanos que dependem da Internet em casa para trabalhar ou estudar.

A AT&T foi a primeira a confirmar que vai suspender os limites de dados dos seus planos de banda larga de todos os clientes até novos desenvolvimentos relativamente ao COVID-19, avançou a empresa ao website Motherboard. Anteriormente, os clientes com planos limitados arriscavam-se a pagar multas até 10 dólares por cada 50 GB consumidos adicionalmente.

Já a Comcast está a concentrar-se no programa Internet Essentials, o qual disponibiliza um plano de banda larga a famílias com rendimentos mais baixos por 9,95 dólares por mês. A empresa está agora a oferecer o plano de forma gratuita durante os próximos 60 dias. Em comunicado à imprensa, a Comcast avança também que vai aumentar a velocidade da Internet para 25/3 Mbps para todos os clientes.

À medida que o número de pessoas a trabalhar e a estudar em casa aumenta também na Austrália, a operadora Optus decidiu dar aos clientes um bónus de 20 GB de dados móveis até abril. Além disso, todos os clientes que fizerem carregamentos superiores a 40 dólares australianos durante o próximo mês receberão 10 GB. A decisão anunciada em comunicado segue as medidas tomadas pelas operadoras norte-americanas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.