Diretamente de Nova Iorque, Rick Osterloh arrancou as hostilidades para apresentar os novos produtos “Made by Google”, dispositivos desenhados, investigados e desenvolvidos pela gigante tecnológica. No fundo é o empenho da empresa em criar hardware que possa servir os seus serviços, que em breve contará com o Google Stadia, que chega no dia 19 de novembro.

Mais inteligentes e autónomos, eis os Pixel Buds

A empresa arrancou com a apresentação dos novos Pixel Buds, que a brincar é mencionado que se tem um “computador nos ouvidos”. A empresa promete um som nítido, alimentando por machine learning para se adaptar ao barulho em redor. E mesmo quando o telefone não está na mão, é possível utilizar o assistente para interagir com o mesmo, seja para ouvir podcasts ou obter direções. Dessa forma, pode deixar o smartphone no cacifro quando estão no ginásio, ou quando estão a regar o jardim e o mesmo está a recarregar no interior. A Google promete uma distância de um campo de futebol, de baliza a baliza sem perder a conexão.

Tem uma pequena “spatial vent” para ajudar a ajustar o som, em locais com barulho, e até os microfones têm acelerómetros para projetar a voz e dessa forma manter a conversão. Primavera do próximo ano a 179 dólares.

A privacidade é uma questão que a Google está a trabalhar e já vai ser possível pedir ao assistente, com um simples comando de voz que apague o histórico de utilização. Promete ainda uma redução da utilização de carbono e desde 2017 que está a utilizar 100% de energias renováveis nos produtos Google, tendo investido 150 milhões em projetos. "Ao utilizar produtos da Google está a contribuir para o bem-estar sustentável do planeta", refere Rick Osterloh, puxando a "brasa à sua sardinha". salientando que os próximos produtos Nest serão produzidos com materiais reciclados. Também o comando produzido de raiz para o Google Stadia foi também produzido tendo em conta o ambiente.

Google confirma Pixel 4 com Motion Sense
Google confirma Pixel 4 com Motion Sense
Ver artigo

Ivy Ross apresentou o Pixel GO, sem revelar muitas novidades técnicas, referindo que é mais pequeno, mais leve e tem uma autonomia de 12 horas. Destaca as teclas silenciosas e também a sua textura rugosa para um maior “feeling” na utilização. Chega ao mercado por 649 dólares na versão preta, e já pode fazer a pré-encomenda.

Relativamente ao Nest, mais uma vez é frisado o foco na privacidade e segurança, obrigando aos parceiros a passarem num teste de segurança, antes mesmo de pedirem os dados aos utilizadores. Os dos modelos, o mini, a 49 dólares vai estar disponível em 23 mercados a 22 de outubro. Tem um chip que processa 1 TeraOps. Pode ser utilizado para integrar a campainha da casa ou as chamadas telefónicas. O serviço permite aceder a históricos e cobre todos os dispositivos da rede.

Os Pixel Buds da Google prometem ser como um "computador nos ouvidos"
Os Pixel Buds da Google prometem ser como um "computador nos ouvidos"
Ver artigo

Embora esta segunda geração seja esteticamente muito semelhante à primeira, tem algumas mudanças subtis, nomeadamente a possibilidade de serem presas na parede, graças ao orifício para um gancho. A empresa promete ainda uma maior cobertura do seu sistema de Mesh Wifi, destacando que foi desenhado para ser um objeto de decoração na casa, melhorando a sua perfomance ao estar exposta sem obstáculo.

A Google falou também na parceria com outras empresas com serviços semelhantes, para poderem lançar a partir do dispositivo da empresa, sem a necessidade dos utilizadores comprarem outros dispositivos.

Pixel 4 com sensores de movimentos confirmado

No que diz respeito ao Pixel 4, confirmam-se todos os rumores relativos aos comandos de movimento, denominado por Motion Sense, que vai permitir controlar o smartphone à distância, utilizando apenas pequenos gestos com as mãos, tal como atender chamadas. Para absorver a informação gestual para um pequeno chip a tecnologia faz parte do Project Soli e utiliza um sistema de radar. As boas notícias, aparentemente, é que é necessária uma licença para operar a tecnologia de radar, e recentemente Portugal foi encontrado na lista de países que suportam esta tecnologia. Para já não há notícias se o smartphone vai chegar oficialmente ao mercado português.

De acordo com a empresa, o novo assistente pessoal inteligente vai ser introduzido no Pixel 4, a correr diretamente do dispositivo. Espera-se ainda que seja 10 vezes mais rápido que a versão anterior a compreender e a processar as interações dos utilizadores. Através de uma demonstração em tempo real do speach-to-text através da nova app Recorder, a empresa deu a conhecer a tecnologia que permite aos utilizadores falar e o sistema a transcrever para um documento de texto, nõ só a voz, mas descrevendo sons de instrumentos e até aplausos. A demonstração feita em tempo real registou exatamente um "ditado", e mais uma vez, a Google garante que todo o processamento é feito no smartphone.

Os novos Nest Mini da Google chegam já com o novo assistente pessoal inteligente
Os novos Nest Mini da Google chegam já com o novo assistente pessoal inteligente
Ver artigo

Relativamente às câmaras, a Google destaca as duas novas lentes, incluindo um telefoto, que combinado com o software Super Res Zoom, promete imagens de grande qualidade capturadas à distância. A Google destaca a importância do balanceamento dos brancos e deu como exemplo uma pessoa fotografada dentro de uma gruta de neve, em que há necessidade de aplicar o filtro para atribuir as cores corretas à imagem. A empresa promete ainda que o dispositivo consegue melhorar os pixéis das imagens, harmonizando-as. Além disso, as fotografias noturnas podem ser melhoradas graças ao sistema Night Sight.

Os novos utilizadores vão beneficiar de três meses do serviço Google One gratuitamente, incluindo o suporte técnico. Com bónus, terão ainda acesso a 100 GB de armazenamento em cloud. Os preços do dispositivo arrancam nos 799 dólares para a versão normal e 899 dólares para o Pixel 4 XL, em três cores: preto, branco e "oh-so orange" (uma versão limitada).

Google Stadia chega a 19 de Novembro deste ano
Google Stadia chega a 19 de Novembro deste ano
Ver artigo

Em antevisão

É hoje que a Google vai revelar o alinhamento de novos produtos tecnológicos para o seu catálogo “Made by Google”, e se os olhos estão postos no novo Pixel 4, há mais a ter em conta, até porque os leaks não param de chegar, acompanhados de fotografias. Veja-se o caso dos Nest Mini, que embora esta segunda geração seja esteticamente muito semelhante à primeira, tem algumas mudanças subtis, nomeadamente a possibilidade de serem presas na parede, graças ao orifício para um gancho. Além disso, têm um cabo de 1,5 metros, segundo avança a WinFuture, indiciante ainda que a fabricante irá trocar o carregamento via micro-USB para um conector de energia. Há ainda rumores sobre quatro variações de cores: antracite, rock candy, coral e sky blue. É ainda referido que utiliza Bluetooth de quinta geração.

No que diz respeito ao Pixel 4, duas funcionalidades disruptivas no dispositivo: o sistema “raise to talk”, que é uma nova tecnologia de interação com o Google Assistant em que os utilizadores devem apenas levantar o dispositivo para começar a falar com o assistente virtual. O sistema não é novo, visto que o Apple Watch permite interação semelhante com a Siri, mas em smartphones tudo indica ser uma novidade.

A segunda funcionalidade é o Motion Sense, que vai permitir controlar o smartphone à distância, utilizando apenas pequenos gestos com as mãos. A tecnologia faz parte do Project Soli e utiliza um sistema de radar para absorver a informação gestual para um pequeno chip. E como é necessária uma licença para operar a tecnologia de radar, recentemente Portugal foi encontrado na lista de países que suportam esta tecnologia. E por isso, as expetativas são elevadas para o mercado português eventualmente receber oficialmente o novo smartphone. Até aqui, a Google nunca apostou em Portugal para o lançamento oficial dos seus smartphones, e apenas se podem encontrar dois dispositivos à venda oficialmente pela fabricante: o Chromecast V3 e o Home Wi-Fi Home Mesh.

Por fim, fala-se ainda que o Pixel 4 venha a ter um novo sistema biométrico de autenticação facial, de forma a elevar a segurança. Será um rival à altura do Apple Face ID? Ainda se lembra do evento do ano passado, quando o Google Assistant ligou para um restaurante e um cabeleireiro a fazer marcações de uma forma completamente autónoma? Pois bem, o evento pode ficar marcado pela apresentação da próxima geração do assistente virtual, que já tinha sido antecipado em maio no evento Google I/O. Na altura foi referido que, por exemplo, o assistente reconhece gestos (o que faz sentido com o Motion Sense) e pode desligar a música quando toca o telefone.

A Google referiu ainda que o assistente seria introduzido no novo Pixel 4, a correr diretamente do dispositivo. Espera-se ainda que seja 10 vezes mais rápido que a versão anterior a compreender e a processar as interações dos utilizadores.

Acerca do novo Pixelbook, o 9to5google já terá experimentado um protótipo do portátil e partilhado algumas fotografias. Este poderá ter sido batizado de Pixelbook Go e apresenta um ecrã tátil de 13,3 polegadas, aparentemente capaz de projetar imagens a 4K. Pelas fotos é possível ver que tem duas entradas USB-C, entrada 3,5 mm para auscultadores e configurações que passam por processadores Intel Core m3, i5 e i7, assim como variações de RAM até 16 GB e armazenamento até 256 GB, com adiantado.

O website sugere ainda a atualização dos Pixel Buds, para uma segunda geração, mas sem adiantar especificações, elevando a dúvida se estes serão completamente wireless, visto que a primeira versão tinha um fio a ligá-los entre si.

Mas há muito mais para acompanhar hoje, a partir da live stream do canal oficial da Google, ou aqui no SAPO TEK a partir das 15:00.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.