Este ano, as vendas de smartphones devem cair 3,5% para um total de 1,3 mil milhões de unidades, segundo as previsões da IDC. A consultora já estimou que em 2022 as vendas de equipamentos móveis crescessem 1,6%, a compensar a quebra nas vendas dos últimos três trimestres, mas a conjuntura internacional alterou as projeções. Já no primeiro trimestre deste ano a IDC deu conta de um declínio global de 8,9% na distribuição de smartphones, com a Samsung a manter a liderança enquanto a Apple foi a única fabricante a crescer. O mercado português está em contraciclo e cresceu 21% neste período, com a Samsung, Xiaomi e Apple a representarem 85% das vendas.

A consultora defende, no entanto, que os constrangimentos atuais, que se verificam tanto do lado da procura como da oferta não vieram para ficar e diz que, até 2026, será possível fixar a taxa de crescimento do mercado a cinco anos nos 1,6%. Já em 2023, a IDC acredita que o mercado irá crescer 5%.

Venda de smartphones cresce 21% em Portugal com impulso dos números da Samsung, Xiaomi e Apple
Venda de smartphones cresce 21% em Portugal com impulso dos números da Samsung, Xiaomi e Apple
Ver artigo

O 5G dará um contributo de peso porque vai continuar a ganhar terreno. O ano deve terminar com o número de equipamentos suportados na tecnologia a crescer 25,5%, representando 53% das encomendas expedidas para as lojas. Em 2026, a IDC acredita mesmo que o 5G já representará 78% das vendas de equipamentos.

Mas entretanto, a Europa ocidental e central serão as regiões do globo a sofrer mais com o encolhimento das vendas. A IDC acredita que o número de telemóveis a chegar às lojas das duas regiões este ano vai cair 22%. Segue-se a China, onde serão comercializados menos 38 milhões de telemóveis, numa queda de 11,5% face ao ano passado de 11,5%.

tek IDC vendas telemóveis 2022 - previsões
créditos: IDC

"A indústria dos smartphones enfrenta desafios em muitas frentes - enfraquecimento da procura, inflação, tensões geopolíticas contínuas, e contínuas restrições na cadeia de fornecimento. No entanto, o impacto dos confinamentos da China - que não têm um fim claro à vista - é muito maior", acredita Nabila Popal, diretor de research da IDC.

Veja os modelos de smartphones mais populares em vários países do mundo

Como explica o responsável, estes confinamentos têm o efeito duplo de afetar a procura e a oferta no maior mercado de consumo do mundo, que é também um dos maiores fabricantes de tecnologia para o sector.

Smartphones com 5G já lideram vendas. 4G foi ultrapassado em janeiro
Smartphones com 5G já lideram vendas. 4G foi ultrapassado em janeiro
Ver artigo

No que se refere à escassez de componentes, a IDC acredita que a partir do segundo semestre a situação tende a melhorar. Sublinha que a disponibilidade de SoCs 4G tem sido escassa, mas a migração para o 5G e para chips com suporte para essa tecnologia tem ajudado a ultrapassar o problema. Nas restantes áreas onde escasseiam semicondutores, uma descida da procura, combinada com um aumento da produção e diversificação dos processos de produção, para responder a algumas das necessidades, começam a adequar oferta e procura.

Por fabricantes, as previsões do Worldwide Quarterly Mobile Phone Tracker da IDC referem que a Apple pode ser a menos afetada pelas ameaças em perspetiva. Por um lado, e no que se refere aos constrangimentos na China, a empresa tem feito um esforço para ter “um maior controlo sobre a sua cadeia de abastecimento”, que está já a dar frutos. Por outro, os clientes dos smartphones da empresa, todos de gama alta, são menos permeáveis às oscilações da economia.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.