Depois de ter anunciado ontem o alargamento do Tech Visa a empresas de todos os sectores, o Governo prepara-se para lançar a Fase II do programa Indústria 4.0 (i4.0). A iniciativa, inscrita na Estratégia Nacional para o Horizonte 2030, visa o cumprimento do objetivo de uma década de convergência sustentada com a União Europeia. O início da segunda fase do programa está marcado para a próxima terça-feira, em Guimarães.

Estima-se, neste nova fase, a mobilização de investimentos (públicos e privados) no valor de 600 milhões de euros, nos próximos dois anos. Em comunicado enviado à imprensa, o Governo considera que a Fase II se caracteriza como transformadora, enquanto que a primeira foi sobretudo demonstradora e mobilizadora.

Com contributos de mais de 50 entidades, pretende-se envolver nas várias iniciativas 20 mil empresas, formar mais de 200 mil trabalhadores e financiar mais de 350 projetos. Esta fase inclui três eixos - Generalizar, Capacitar e Assimilar – que deram origem a onze recomendações e diversas medidas aceleradoras.

As medidas incluem a partilha de conhecimento, experiências e benefícios como forma de estimular a transição massificada para a i4.0, através do Shift 4.0. Estão também previstas medidas para a promoção, facilitação e financiamento do acesso das empresas à experimentação de métodos e tecnologias i4.0, bem como o suporte do seu ‘scale-up’ e transição digital, sendo disponibilizadas soluções de crédito adequadas às necessidades.

Lançada em 2017, a Iniciativa Indústria 4.0 assenta em seis eixos de atuação prioritária: capacitação dos recursos humanos, cooperação tecnológica, criação da startup I4.0, financiamento, apoio ao investimento, internacionalização e adaptação legal e normativa. O Ministério da Economia afirma que das 64 medidas contempladas no lançamento da iniciativa, 95% foram executadas, abrangendo mais de 24 mil empresas e 550 mil pessoas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.