A vida não tem sido fácil para o Facebook que depois de se ter tornado um dos grandes sucessos da era internet é agora uma das empresas mais criticadas. No último ano os problemas de segurança e as falhas de privacidade atingiram fortemente a empresa criada por Mark Zuckerberg que ainda luta para ultrapassar o escândalo que resultou do acesso aos dados por parte da Cambridge Analytica e que já valeu muitas críticas, inquéritos e multas.

Agora a FTC (Federal Trade Commission, entidade norte americana responsável pela concorrência) estará a preparar-se para aplicar mais uma multa, que poderá chegar aos 5 mil milhões de dólares (cerca de 4,4 mil milhões de euros), como adiantou na sexta feira o Wall Street Journal. E esta semana surgiu uma nova falha de segurança, desta vez relacionada com a informação que o Facebook adiciona às imagens que são partilhadas na rede.

5 mil milhões de uma multa à espera de acontecer

O acordo estará ainda a ser negociado mas já terá sido aprovado pela FTC, com 3 votos a favor  2 contra, sendo agora necessária a aprovação do Departamento de Justiça, o que deverá acontecer nas próximas semanas. O Facebook não comentou mas admitiu que está em negociações com as autoridades, num processo que já é conhecido há vários meses.

As perguntas (e respostas) mais importantes sobre o caso Cambridge Analytica/Facebook
As perguntas (e respostas) mais importantes sobre o caso Cambridge Analytica/Facebook
Ver artigo

De fora a multa parece elevada, e é uma das maiores impostas pela FCT, que em 2012 aplicou  uma multa à Google de 22,5 milhões de dólares, mas várias entidades já criticaram o valor, que afirmam ser pequeno face à dimensão da empresa e que não é suficiente para obrigar o Facebook a corrigir as suas práticas de segurança e privacidade.

"A FTC ofereceu ao Facebook uma prenda de Natal cinco meses antes do tempo", afirmou o republicano David Cicilline no Twitter depois de ser conhecida a notícia, defendendo que ficou desapontado por ver que uma empresa com  esta dimensão recebe apenas uma "palmada no pulso" depois de ter um compostamento tão sério.

O senador Ron Wyden juntou-se às críticas e afirmou que esta multa é "uma picada de mosquito numa organização da dimensão do Facebook".

Em comum as várias críticas ouvidas depois da notícia do valor da multa referem também o facto de não se anteciparem exigências de mudanças estruturais na empresa.

Em 2018 o Facebook faturou quase 56 mil milhões de dólares e os 5 mil milhões de multa são cerca de 10% desse valor, apesar da empresa já ter reservado 3 mil milhões para eventuais multas.

No mês passado também a Itália tinha avançado com uma multa de um milhão de euros e é expectável que outras autoridades de proteção de dados na Europa sigam este caminho. Ainda em 2018 o Reino Unido tinha aplicado uma multa de 560 mil euros, um valor baixo face aos que estão agora a surgir.

Tudo o que uma imagem partilhada no Facebook pode contar

Depois de todas as falhas de segurança e problemas já identificados no acesso de aplicações e de empresas aos dados dos utilizadores do Facebook, esta semana há mais uma descoberta de uma má prática de proteção da privacidade, relacionada com as imagens.

Um investigador australiano de segurança reabriu o debate sobre os "códigos escondidos" em fotos carregadas no site, afirmando que identificou uma anomalidade de dados estruturais quando estava a verificar uma imagem.

Edin Jusupovic explica que depois da análise descobriu que a imagem analisada "continha o que agora entendo ser uma instrução especial do IPTC ", uma norma de metadados usada por fotógrafos.

Utilizando algumas ferramentas de software é possível seguir as imagens descarregadas do Facebook com um grande nível de procisão, verificando quem fez o upload original e outra informação que está relacionada com direitos de autor.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.