Na conferência Dreamforce, organizada pela Salesforce, partilham-se experiências e conhecimento, assim como soluções para o crescimento empresarial. Bret Taylor, Presidente e COO da Salesforce, salientou o papel da tecnológica durante o período pandémico no último ano e meio. E como as empresas tiveram de se adaptar rapidamente para enfrentar a pandemia.

A Salesforce assumiu o papel de inspirar as empresas e a ajudá-las na sua transformação e adaptação. E a sua estratégia assenta em cinco pilares essenciais: o crescimento de confiança nas empresas; a colocação dos clientes em primeiro lugar; a noção de que as infraestruturas virtuais são mais importantes do que as físicas; a segurança e saúde de todos os trabalhadores; e por fim, a sustentabilidade, na forma como as empresas se tornam cada vez mais eficientes e menos dependentes do carbono.

A Salesforce quer que o Slack seja a nova Sede Virtual das empresas

Parte da conferência foi dedicada ao Slack, sendo referido que este vai ser integrado no Salesforce Customer 360, em todas as suas variantes, com o objetivo de simplificar a comunicação e colaboração, não só entre as equipas internas, mas também com os parceiros externos. Da mesma forma que as escolas estão a adotar a solução para ligar professores e alunos, por exemplo.

Mas o que a tecnológica deseja é que as empresas mudem a sua sede do físico, para o digital, ou seja, independentemente de onde, quando ou como trabalham, as inovações apresentadas permitem uma melhor colaboração entre membros das equipas, clientes e parceiros. Nesse sentido, reforça a ideia da criação de uma Sede Digital onde todos se podem conectar, num mundo onde o trabalho se faz a partir de qualquer lugar.

O Slack está a ser modificado para ser mais flexível, inclusivo e conectado, não só as pessoas, como os sistemas. A empresa revelou o Clips, a possibilidade de criar e enviar pequenos vídeos, que podem ser partes importantes de uma reunião de videoconferência. Os utilizadores podem gravar-se a si, ou o ecrã em tempo real, partilhar print-screens em qualquer canal ou via mensagens privadas na plataforma de comunicação, oferecendo assim maior flexibilidade de comunicação.

O Slack Connect é um reforço na segurança, incluindo trabalhadores, parceiros, vendedores, que permite reunir todas as ferramentas de comunicação num único local. Desta forma, todos podem comunicar, mesmo as pessoas que nem sequer utilizam o Slack. A empresa considera que as novas funcionalidades do Slack permitem que cada empresa tenha a oportunidade de se reinventar, de tornar o seu trabalho mais flexível, inclusivo e produtivo.

A tecnológica afirma que as empresas se adaptaram rapidamente em 2020, na forma como migraram para o trabalho remoto. Mas até aqui limitaram-se a traduzir as rotinas do escritório para o mundo virtual. A empresa diz que nove em 10 empresas estão a planear modelos híbridos para o futuro, e por isso necessitam reinventar os processos e as ferramentas que antes tinham e usavam, tais como reuniões presenciais ou emails genéricos para toda a empresa, para agora um mundo onde tudo se torna digital.

Foram referidas algumas empresas que já estão a construir as suas Sedes Digitais baseadas nas soluções da Salesforce e Slack, incluindo a rede de pizarias Domino’s. A empresa tornou-se mais eficiente e com opções exclusivas de pedidos para os clientes. A Intuit e a Splunk são mais dois exemplos de se terem tornado mais digitais, simplificando o apoio ao cliente, automatizando muitos dos mecanismos a partir do digital.

O compromisso com o planeta e a neutralidade carbónica

Sobre a estratégia de sustentabilidade, a Salesforce salienta o estado do mundo em “alerta vermelho”, com os governos a regularem e a fazerem imposições para que as empresas se adaptem e reduzam as suas emissões carbónicas. Nesse sentido, a Salesforce revelou que atingiu a neutralidade carbónica em toda a sua cadeia, utilizando agora 100% energia renovável.

A empresa pretende agora inspirar os seus parceiros e clientes a seguir o mesmo caminho, tendo introduzido uma cloud 2.0 assente em sustentabilidade. Funciona como “Net Zero as a service”, ajudando as empresas a encontrarem o melhor caminho para se tornarem menos dependentes de carbono.

Salientou ainda que está também a ajudar a plantar árvores e só este ano foram encomendadas 30 milhões de unidades. Tem uma app (Tee Tracker) que ajuda a informar o estado do programa de florestação. A iniciativa teve uma parceria com a Global Citizen e a 1T.org, pretendendo atingir o objetivo de plantar 100 milhões de árvores até 2030.

Para atingir o objetivo de neutralidade, a Salesforce reduziu emissões em quatro categorias principais: trabalhar a partir de qualquer lugar, infraestrutura, viagens de trabalho e cadeia de abastecimento. A empresa pretende agora inspirar outras a darem os mesmos passos e dar força aos “ecoempreendedores” para que desenvolvam soluções de apoio ao clima. E ao mesmo tempo, espicaçar as empresas da Fortune 1000 a atingirem a neutralidade carbónica. E a Salesforce tem a certeza que os consumidores querem estar ao lado de empresas comprometidas com ações climáticas, mesmo que tenham de gastar mais dinheiro naquelas que lutam contra as alterações.

A Salesforce diz que em 2021 conseguiu atingir os 100% de energia renovável ao comprar eletricidade renovável equivalente ao que utiliza em todas as operações a nível global. Objetivo foi conseguido agora, mas o compromisso já vem de 2013. Com a Sustainability Cloud, a Salesforce conseguiu reduzir o processo de contabilização de carbono de mais de seis meses para apenas seis semanas, disse.

E essa base foi agora ampliada na Sustainability Cloud 2.0 que visa capacitar as empresas a assumirem os seus respetivos compromissos climáticos. A empresa diz que os fornecedores são uma parte significativa na equação da redução do carbono.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.