Desde o lançamento de Cabo Canaveral, na madrugada de segunda feira, até à chegada à Estação Espacial Internacional foram 27 horas e 33 minutos de voo, mas o tempo de acompanhamento de toda a missão Crew-1 foi muito mais longo, desde que os astronautas começaram o processo de se instalar na cápsula Crew Dragon até que finalmente entraram na Estação, cerca das 6h40 de Portugal continental. Todos os olhos estavam a seguir a missão histórica, que recupera de forma oficial o lançamento de astronautas de solo americano, com a primeira viagem comercial, em parceria com a SpaceX.

Os quatro astronautas,  os norte-americanos Michael Hopkins, Victor Glover e Shannon Walker, e o japonês Soichi Noguchi da Agência Espacial Japonesa (JAXA), mostraram a sua satisfação pela forma como toda a viagem decorreu sem incidentes e juntaram-se à equipa que já estava a bordo da Estação Espacial Internacional, e que integravam a Expedição 64. Na bagagem os novos ocupantes da "casa" dos astronautas em órbita da Terra levaram com eles um bebé Yoda, que serviu de teste para a microgravidade e que foi desde o início uma estrela nas redes sociais.

A missão Crew-1 começou a sua viagem para a Estação Espacial Internacional (ISS na sigla em inglês) após um lançamento bem-sucedido “à boleia” do foguetão Falcon 9 a partir do Centro Espacial John F. Kennedy da NASA, na Flórida, na madrugada de segunda feira, pelas 00h27 de Lisboa.

O SAPO TEK acompanhou de perto todo o percurso, entre os preparativos e as 27 horas e 33 minutos de voo, mais a chegada à Estação Espacial pelas 4 horas da manhã de hoje, e ainda o longo processo de estabilização e equalização da pressão entre a Estação Espacial e a Crew Dragon, até à abertura das duas escotilhas para que os astronautas se pudessem finalmente encontrar.

A primeira missão oficial que junta a SpaceX e a NASA, num conjunto de seis que estão previstas no Commercial Crew Program, é mais um passo em direção a uma nova era de voos tripulados regulares a partir de território norte-americano. Em março a missão Demo-2 foi bem sucedida e agora a NASA e a SpaceX confirmam o mesmo sucesso com a Crew-1, que viajou na nave "gémea" Resilience.

Da Flórida até à Estação Espacial em 27 horas e 33 minutos. Porque demora tanto a aproximação da Crew Dragon?
Da Flórida até à Estação Espacial em 27 horas e 33 minutos. Porque demora tanto a aproximação da Crew Dragon?
Ver artigo

Como estava planeado, a equipa de astronautas a bordo da cápsula Crew Dragon chegou à Estação Espacial por volta das  11 horas EST, às 4 horas da manhã desta terça feira. Depois da acoplagem, um processo lento por exigir grandes cuidados e precisão, foram necessárias algumas horas para estabilização e equalização da pressão entre a Estação Espacial e a Crew Dragon. Só depois podem foram abertas as duas escotilhas, o que está previsto para as 1h40 da manhã EST, cerca das 6h40 em Portugal continental.

Os quatro astronautas que viajam na Crew Dragon juntaram-se aos três ocupantes atuais da Estação orbital e foi realizada uma pequena cerimónia com algumas declarações oficiais, desta vez sem incidentes. Recorde-se que na chegada da missão Demo-2 , entre abraços e cumprimentos, Douglas Hurley bateu com a cabeça e chegou a sangrar.

Toda a preparação para a chegada à Estação Espacial Internacional

Os planos iniciais da NASA e da SpaceX previam o lançamento da missão história para 31 de outubro. No entanto um problema relacionado com os motores do Falcon 9, o mesmo que foi encontrado na primeira tentativa de lançamento da missão GPS III-SV04 da US Space Force e no foguetão que seria usado para lançar o satélite Sentinel-6, levou a um adiamento para o dia 14 de novembro.

Os ventos fortes que se faziam sentir em Cabo Canaveral fizeram com que a missão fosse novamente adiada para 15 de novembro. Durante a madrugada houve finalmente “luz verde” para o lançamento.

Três minutos depois, a 90 quilómetros de altitude e quando o Falcon 9 atingiu uma velocidade de sete mil quilómetros por hora, o primeiro estágio do foguetão separou-se, regressando à Terra e aterrando na plataforma “Just read the instructions", da SpaceX, no oceano Atlântico.

O primeiro voo orbital licenciado pela Federal Aviation Administration, depois dos testes realizados em março, leva a bordo três astronautas da NASA e um da Agência Espacial Japonesa (JAXA). Mas na bagagem segue também um pequeno bebé Yoda, um boneco da série Mandalorian da Disney, que tem encantado as redes sociais.

Para além do efeito "fofinho", o peluche desempenha também uma missão de mostrar quando é que o ambiente da nave está em microgravidade, o que é feito normalmente com um objeto deixado solto na cápsula. Na Demo-2  Doug Hurley levou um pequeno dinossauro chamado Tremor que tinha sido escolhido pelos seus filhos.

A equipa tem pela frente uma missão de seis meses na ISS, onde vai realizar várias experiências científicas em microgravidade, juntando-se aos três astronautas que estão na Estação e formando pela primeira vez um grupo de sete cientistas a bordo da estação orbital que recentemente celebrou o vigésimo aniversário como "casa" dos humanos fora de órbita.

Recorde-se que o Falcon 9 que foi utilizado para o lançamento da Crew-1 e o booster da primeira fase serão reutilizados para a próxima missão da nave, a Crew-2, que terá duas mulheres como pilotos. Além disso, segundo Benji Reed, responsável pelos voos tripulados da empresa SpaceX, a empresa liderada por Elon Musk prevê lançar sete missões de transporte de pessoas e carga nos próximos 15 meses.

A galeria abaixo mostra os esquemas de manobragem e aproximação da Crew Dragon à Estação Espacial Internacional.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.