“Se não os consegues vencer, faz com que trabalhem para ti”. Este mote transformado é muitas vezes utilizado pelas autoridades em investigações criminais e até pelas empresas do mundo tecnológico. O mais recente caso envolve um dos principais piratas informáticos que fez parte dos LulzSec e que orquestrou parte dos ataques feitos pelo grupo.



Hector Xavier Monsegur vai amanhã, 27 de maio, a tribunal para ser julgado pelos crimes informáticos que cometeu. Mas os procuradores do caso vão recomendar ao tribunal que o indivíduo apenas seja condenado à pena que já cumpriu – sete meses de prisão em 2012.



Graças à cooperação de Hector Monsegur as autoridades norte-americanas conseguiram desmantelar outras operações dos Anonymous e LulzSec, além de terem detido oito suspeitos de efetuarem ataques de larga escala contra serviços de empresas como a Sony, Nintendo, Fox e até do Senado norte-americano.



O especialista em segurança informática ajudou o FBI a deter um dos mais procurados cibercriminosos dos EUA, Jeremy Hammond, que viria a ser condenado a 10 anos de prisão.



De acordo com The Verge, Hector Monsegur começou a colaborar com o FBI logo após os agentes terem feito uma rusga à sua casa na procura de provas de envolvimento em crimes – que Monsegur desde logo confessou.



Em resumo, a atividade do ex-LulzSec terá permitido impedir cerca de 300 ciberataques e evitado milhões de dólares em prejuízo.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.