A erupção do vulcão na Islândia, na península de Reykjanes, na semana antes do Natal, é o mais recente exemplo da forma como as imagens e vídeos captados por satélites e drones garantem a aproximação a fenómenos naturais de uma forma nunca antes experimentada. Neste caso as imagens foram captada pelos satélites da Maxar e da Joint Polar Satellite System, que junta a NASA e a NOAA, mas também por drones, que mostram a fúria explosiva da lava.

Veja as imagens do vulcão

Já antes a erupção do Monte Etna, na Itália, tinha captado o interesse, com a projeção de fumo e cinzas a atingir 700 metros de altura.

As áreas de Catania e Ceraeusa foram as mais afetadas pela erupção do Monte Etna

Incêndios, ondas de calor ou imagens inundações em locais remotos, vistos a partir do ar, marcaram também outros momentos em que a visão única destes instrumentos foi utilizada. Servem como fonte de informação mas também de alerta, e ajudam as autoridades a acompanhar a evolução da situação, ou as mudanças geológicas, como aconteceu no terramoto em Marraquexe, Marrocos, no início de setembro.

Veja as imagens do terramoto em Marrocos

Os satélites monitorizaram o deslocamento de icebergues, a formação do furacão Otis que atingiu a categoria 5 na chegada à costa oeste do México, perto de Acapulco, em outubro, seguiram o rasto de destruição do furacão Idália na Flórida e fizeram o mapa dos maiores emissores de gás metano.

As imagens do furacão Otis mostram a dimensão da tempestade

Entre os desastres naturais os incêndios estiveram também na mira das constelações de satélites, acompanhando a  extebsão do fogo em Odemira mostrando a dimensão das áreas ardidas no território da União Europeia, que este ano chegaram aos 444 mil hectares até final de Agosto.

Estas são as imagens dos incêndios na Europa em 2023

No ano em que voltaram a bater-se recordes de temperatura, foram também as medições feitas a partir da órbita da Terra, pelos vários instrumentos à disposição da NASA e da ESA, que mostraram nos mapas o impacto do calor que se sentiu em vários países europeus.

Nas cidades os registos são impresssionantes

Menos naturais são os resultados da destruição no terreno causada pela guerra na Ucrânia, que continua a deixar marcas no terreno à medida que as tropas russas e ucranianas se confrontam e que mais misseis são disparados sobre as cidades.

No SAPO TEK mantemos um registo desde 2022 onde é possível ver vários locais afetados na Ucrânia

Também a guerra entre Israel e o Hamas,  depois do ataque de 7 de outubro a civis israelitas, foi sendo acompanhada com imagens de satélites, que mostram os incêndios e fumo logo nos primeiros dias, e o antes e depois dos ataques de Israel na Faixa de Gaza.

Para não terminarmos esta ronda das imagens mais impressionantes de 2023 com cenários de guerra, recordamos as fotos que registam o avanço do mar em Portugal, com a Costa da Caparica, Beleal e Tróia em destaque.  E deixamos também um as fotos e vídeo em timelapse das mudanças da última década no Planeta Terra, realizado pelo Google Earth, sendo a Serra da Estrela, em Portugal, um dos locais destacados com alterações na paisagem e ambiente.

Veja as imagens do antes e depois no Google Earth Timelapse