Os posts de Donald Trump nas redes sociais sempre foram bastante mediáticos e em plena pandemia de COVID-19 parece que se tornaram ainda mais. Pela primeira vez, o Facebook removeu uma publicação do presidente dos Estados Unidos, com o Twitter a eliminar o vídeo em causa, partilhado na conta da equipa da campanha eleitoral do político. Em causa estão declarações do magnata onde afirma que as crianças são "praticamente imunes" à COVID-19, com as redes sociais a considerarem desinformação.

A decisão do Facebook segue-se a uma notícia partilhada pelo Washington Post, onde referiu que a rede social tem uma espécie de "amnistia" para os políticos neste tipo de situações delicadas. Por outras palavras, qualquer anúncio deste tipo pode ser publicado sem qualquer problema ou veto, apesar de já ter retirado um anúncio da campanha de Donald Trump com referências nazis.

Tweet de Donald Trump assinalado pela primeira vez como "manipulação dos media". Porquê?
Tweet de Donald Trump assinalado pela primeira vez como "manipulação dos media". Porquê?
Ver artigo

A notícia não tardou a provocar reações, mais críticas do que positivas. Seis horas depois, o Facebook apagou o post de Donald Trump. Citado pelo mesmo jornal, o porta-voz da rede social, Andy Stone, explicou que o vídeo em causa inclui alegações falsas sobre “um grupo de pessoas que é imune à COVID-19, o que se trata de uma violação das nossas políticas em relação à prejudicial desinformação em relação ao novo coronavírus”. O vídeo foi retirado da entrevista do líder dos EUA à Fox News, quando referiu que as crianças são quase imunes à COVID-19. Em qualquer momento Donald Trump e a sua equipa ficaram proibidos de fazer novas publicações na rede social.

Em conferência de imprensa, Donald Trump voltou a repetir essa afirmação e Courtney Parella, uma porta-voz da campanha do líder dos EUA citada pela CNN, defendeu também a ideia. “Aquilo que o presidente fez foi apenas constatar o facto de que as crianças são menos suscetíveis a contrair o novo coronavírus”, salientou, acrescentando ainda que as redes sociais “não se podem considerar os árbitros da verdade”.

Twiter também não fica indiferente ao vídeo com declarações de Donald Trump

Também o Twitter apagou o mesmo vídeo que tinha sido removido pelo Facebook. Neste caso, o conteúdo, partilhado pelo presidente dos EUA, foi retirado da conta de Twitter Team Trump, dedicada à campanha eleitoral para a reeleição do atual presidente dos Estados Unidos. Essa conta chegou mesmo a ser bloqueada, e só voltou a ser desbloqueada, passando a poder publicar novamente, depois de o vídeo ter sido removido.

A verdade é que esta rede social tem sido mais austera com o presidente dos Estados Unidos. Uma das medidas mais recentes do Twitter foi o bloqueio de um post de Donald Trump por violações de direitos de autor. Já em maio, o magnata ameaçou fechar as redes sociais depois de Twitter ter sinalizado as suas publicações como fake news.  Mais recentemente, Donald Trump assinou uma ordem para “castigar” essas plataformas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.