"A partir de dia 1 de fevereiro, a Vodafone passa a incluir em todos os seus tarifários o acesso livre à rede 5G, permitindo que os seus Clientes usufruam, sem encargos adicionais e automaticamente, das potencialidades da quinta geração móvel, designadamente a maior velocidade e qualidade das ligações de dados". Esta é a mensagem que a Vodafone Portugal está a partilhar, uma semana antes da data que tinha sido definida como limite para a extensão da promoção que foi aplicada desde o lançamento comercial do serviço 5G, ainda em 2020.

Vários adiamentos feitos pelas três operadoras móveis já no mercado e que ganharam licenças para a quinta geração móvel tinham colocado a nova meta de comercialização da tecnologia no dia 31 de  janeiro de 2024, prolongando por mais de dois anos o período de experimentação gratuita.

Logo no primeiro momento as operadoras tinham definido preços para o acesso ao 5G em alguns tarifários, com os valores a rondar os 5 euros mensais a somar aos pacotes existentes, mas indicando que iriam aplicar um período "experimental" gratuito durante algum tempo. Na altura a DECO contestou a decisão, alegando a cobertura ainda escassa de rede, mas o prolongamento dos períodos experimentais foi adiando a aplicação da tarifa.

As licenças que permitem a utilização do espectro do 5G já foram emitidas em 2021, depois de um longo e polémico processo de definição de regras e de um leilão que se arrastou por 9 meses e mais de 1.727 rondasSeis operadoras ganharam licenças, com um encaixe de 566,8 milhões de euros para o Estado, 410 milhões dos quais pagos ainda nesse ano, mas mesmo a MEO, NOS e Vodafone, que já estavam no mercado, continuam sem rentabilizar o investimento com a cobrança de tarifários junto dos consumidores finais.

Promessas de melhor internet em todo o país e um 5G que ganha mais adeptos (ainda em modo gratuito)
Promessas de melhor internet em todo o país e um 5G que ganha mais adeptos (ainda em modo gratuito)
Ver artigo

Os serviços 5G da NOS e da Vodafone foram lançados logo em dezembro de 2021, assim que tiveram acesso às licenças, enquanto a MEO esperou pelo início de janeiro de 2022, mas depois de fixarem os custos de utilização do 5G em vários tarifários, o período experimental foi sendo sucessivamente adiado, muitas vezes por períodos curtos, numa sucessão de decisões em cascata que parecia interminável.

A Vodafone Portugal afirma agora que se congratula "por ser a primeira operadora no mercado a iniciar uma nova etapa de desenvolvimento desta tecnologia móvel, especialmente relevante para potenciar a inovação e a competitividade, fomentando uma sociedade e uma economia mais modernas e sustentáveis". Mesmo assim não é claro que este acesso será livre para sempre, sem custos adicionais para os clientes, uma questão que já colocámos à empresa. 

Em comunicado, Luís Lopes, CEO da Vodafone Portugal, diz que "“Estes dois anos em que permitimos o acesso experimental sem encargos ao 5G impulsionaram fortemente o uso desta rede de última geração, contribuindo para a perceção das vantagens e do potencial da mesma por parte dos Clientes. Na Vodafone pretendemos que a experiência da tecnologia 5G seja o mais democratizada possível, permitindo também a criação de produtos e serviços diferenciados em benefício dos consumidores. Foi por isso que decidimos incluí-la em todos os nossos tarifários, sem encargos adicionais para os Clientes. Sermos a primeira operadora a anunciar esta decisão é um sinal do compromisso da Vodafone para com a digitalização do País".

Segundo os dados partilhados pela Vodafone, mais de 25% dos seus clientes já usam a rede 5G. "Em grandes eventos como festivais de verão ou jogos de futebol, o consumo de dados em 5G representa cerca de 50% do consumo total, refletindo os novos hábitos de utilização", refere a empresa

O SAPO TEK já questionou a MEO e a NOS para perceber se vão também tomar uma decisão semelhante, removendo a ideia de cobrar um valor adicional de cerca de 5 euros em alguns dos tarifários para aceder ao 5G.

De acordo com os últimos números da ANACOM, em novembro as redes de quinta geração chegavam a todos os concelhos de Portugal e a 62% das freguesias com 8.229 estações base 5G instaladas em 1.924 freguesias.

O regulador indica ainda que  19,6% dos utilizadores de redes móveis já usam o 5G e consomem 6,2 GB por mês, números que indicam uma adesão à tecnologia mas também a disponibilidade de smartphones com suporte ao 5G, que são cada vez mais baratos.

Nota da Redação: A notícia foi atualizada com mais informação. Última atualização 11h41

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.