A edição deste ano do Mobile World Congress ficou marcado pelas grandes novidades de smartphones anunciados pelas principais fabricantes. Foram ditadas novas tendências, como os ecrãs dobráveis, os buracos no display para albergar câmaras fotográficas e claro, o 5G, que promete arrancar em breve.

Muito em breve, diga-se, não só com a revelação dos primeiros equipamentos, mas também serviços, com as operadoras americanas, por exemplo, a revelarem os seus planos, ainda que de forma algo tímida. A chegada da quinta geração mobile introduz ainda a tecnologia de ligações sem fios Wi-Fi 6, que tornará a velocidade de internet bem mais rápida, mas sobretudo, mais estável e consistente.

Embora seja cedo para falarmos da eficácia dos equipamentos 5G, até porque muitos dos testes públicos são feitos em ambientes altamente controlados, algumas dúvidas têm sido levantadas sobre quais são afinal os smartphones que vão suportar a nova geração. É que não é apenas ver no ecrã o logotipo 5G, há que entender que a tecnologia será exigente e vai elevar os requisitos mínimos dos equipamentos para suportar as maiores velocidades.

Por isso, o processamento rápido de dados, a memória e claro, a autonomia necessária dos equipamentos tornam os dispositivos mais caros, levando as fabricantes a apostar no 5G apenas nos seus modelos topos de gama. Ainda assim, há quem “contorne” a tecnologia e ofereça o 5G como um módulo opcional, como a Lenovo fez com a sua linha Motorola, nomeadamente o Moto Z3 e o seu Mod 5G.

E quando estarão disponíveis os novos modelos no mercado? Todas as fabricantes apontam o final do primeiro semestre como data de comercialização, mas provavelmente em ambiente muito controlado. Francisco Jerónimo, analista da IDC especializado na área de mobile, lembra que a utilização real do 5G vai evoluir lentamente e que em 2022 será ainda residual. Mesmo assim, esta disponibilidade de equipamentos marca uma diferença em relação ao 4G, onde durante muitos meses a rede estava disponível e não havia terminais para utilizar.

Verifique quais são os equipamentos que já foram revelados no MWC com suporte a tecnologia 5G

Samsung Galaxy S10 5G

O primeiro foi o Samsung Galaxy S10 5G, apresentado com pompa e circunstância, ainda antes do certame, durante o Unpacked em Londres, e no qual o SAPO TEK teve um primeiro e breve contacto. As especificações de hardware são semelhantes ao S10 + , que tem um processador octa-core de 8 nanómetros, e memória que varia entre os 6 e 8 GB.

Introduz, no entanto, uma bateria de 4.500 mAh e o maior ecrã da sua família, com 6,7 polegadas, dando enfâse aos conteúdos multimédia mais rápidos e com maior qualidade prometidos com as ligações mais rápidas. O equipamento adiciona também uma câmara adicional, tanto na parte frontal, como traseira, supostamente para trabalhar conteúdos de realidade aumentada.

Em termos de disponibilidade, o Galaxy S10 5G só chegará às lojas no verão, mas o seu preço ainda não foi confirmado. Mas já agora, o mais bem equipado S10 + , com 1 GB de memória custará 1.639,9 euros, só para ter uma ideia.

Huawei Mate X

O Mate X foi um dos smartphones que mais causou sensação no MWC, por ser um verdadeiro 2-em-1 no que diz respeito às tendências atuais: é um smartphone 5G, mas é também um dispositivo dobrável, neste caso “fazendo frente” ao Samsung Fold. “É o smartphone 5G dobrável mais rápido do mundo”, destacou Richard Yu, o CEO da Huawei durante a sua conferência.

Apelidado internamente de “Falcon Wing Design”, quando está aberto, o Mate X tem um ecrã OLED de 8 polegadas, mas fechado divide-se e fica com 6,6 polegadas na frente e 6,38 atrás. No interior conte com um chipset de 7 nanómetros 5G, acompanhado do novo modem 5G desenvolvido pela fabricante. Em termos de velocidade, foi referido que conseguirá fazer o download de um filme de 1 GB em apenas 3 segundos – 4,6 Gbs de downlink numa banda sub-6 GHz.

Outra particularidade é a sua bateria dupla, cada uma com 4.500 mAh, suportando carregamento rápido com 55 W. As baterias são independentes, mas atuam como uma única, graças ao próprio software do equipamento. O Mate X chega ao mercado em meados do ano, e sabe-se já que a versão de 8 GB de RAM e 512 GB de armazenamento interno custará 2.299 euros.

Xiaomi Mi Mix 3 5G

Já se conhecia o Mi Mix 3 da Xiaomi, e na conferência pré-MWC da fabricante chinesa, foi confirmado uma nova versão do smartphone focada no 5G. Para além do novíssimo processador Snapdragon 855, a empresa reforça a sua parceria com a Qualcomm e introduz no equipamento o modem Snapdragon X50 5G, que segundo a fabricante permite acelerar 20 vezes a ligação, “permitindo o download de 15 minutos de vídeo de qualidade 1080p em apenas um segundo. Ainda tem uma data de lançamento final, mas será em maio, sendo vendido por 599 euros, em duas cores Onyx Black e Sapphire Blue.

Mi Mix 3 5G

LG V50 ThinQ

O novo flagship da marca sul-coreana conta com todas as especificações técnicas que esperamos ver um num topo de gama em 2019. Falamos de um processador Qualcomm Snapdragon 855, 6GB de RAM e 128GB de armazenamento interno, expansível até 2TB via microSD, e uma bateria de 4.000mAh. O modem X50 dá-lhe suporte para ligações 5G ao LG V50 ThinQ.

Para além do 5G, a LG criou outro ponto de foco neste equipamento. Em suma, trata-se de um segundo ecrã que pode ser facilmente montado na estrutura principal do telefone, tornando-o numa espécie de smartphone dobrável. A empresa diz que, com este ecrã, é possível utilizar até quatro aplicações em simultâneo. O que não é possível é expandir uma mesma aplicação ao longo dos dois ecrãs, dado que existe uma zona "cinzenta" entre ambos.

A LG ainda não divulgou preços ou data prevista de lançamento do smartphone.

ZTE Axon 10 Pro 5G

Mais um equipamento que utiliza o novo processador da Qualcomm, o Snapdragon 855, 6 GB de RAM e uma bateria com 4.000 mAh. O smartphone aproxima-se aos seus rivais no que diz respeito à composição do hardware de topo. O seu ecrã OLED é de 6,47 polegadas, com um notch muito discreto, em forma de gota.

Ainda não tem preço, mas o seu lançamento será ainda neste primeiro semestre do ano.

Alcatel 7 5G

A TLC esteve presente no Mobile World Conference e apresentou a sua nova linha de smartphones da família Alcatel 3. A marca está associada a smartphones low budget e equipamentos de entrada de gama, embora com a ambição de oferecer o máximo de tecnologia pelos preços inferiores que pratica. Nesse sentido, é com surpresa que guardou na manga o Alcatel 7 5G, um protótipo em exibição no evento.

As características repetem-se: ecrã de 6,5 polegadas, processador Snapdragon 855, 6 GB de RAM e uma bateria de 4.000 mAh. Estima-se que o smartphone venha a ser lançado entre o final do ano e o início de 2020, quando a poeira dos lançamentos das grandes fabricantes assentar…

As fabricantes mostram diferentes protótipos

De uma forma mais subtil, outras fabricantes revelaram a sua posição face ao 5G, sem mostrar produtos de consumo, mas sim protótipos de smartphones para futuras implementações da quinta geração móvel. A Oneplus demonstrou um videojogo totalmente gerado por streaming, do serviço Shadow. A fabricante ainda vai apresentar oficialmente o equipamento, que poderá ainda ser lançado na primeira metade do ano.

Quem visitou o stand da Qualcomm na MWC deparou-se também com um equipamento da Oppo, um protótipo igualmente a correr um jogo do Shadow. Assim como a Sony, que aposta nos conteúdos 4K da sua nova linha de smartphones Xperia 1, levou igualmente um protótipo 5G, demonstrando como será a performance de um serviço como a Netflix a correr vídeo a 4K em streaming.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.