Recentemente, e antecipando o Mobile World Congress, o mundo conheceu a nova geração de smartphones da Samsung, o Galaxy S10, cujos topos de gama incluem a versão Plus e ainda um 5G. Mas a família de smartphones premium da fabricante coreana, que marca o seu décimo aniversário, não estará sozinha na corrida do melhor smartphone. E ignorando para já o dobrável Fold, mas também o Huawei Mate X, porque são de "outro campeonato", a concorrência, de uma forma ou outra, ainda tem uma palavra a dizer.

Conheça algumas das principais alternativas ao Galaxy S10, uns já no mercado, outros acabaram de ser anunciados.

O “poderoso” novo Xiaomi Mi 9

Igualmente antecipando o MWC, e no dia anterior ao escolhido pela Samsung para revelar o seu flagship, também a Xiaomi decidiu marcar a sua posição apresentando o Mi 9, smartphone mais detalhado durante a conferência da fabricante chinesa. É mais um smartphone que introduz o sensor biométrico de impressões digitais no ecrã, 12 GB de RAM e 256 GB de armazenamento na sua versão mais “apetrechada”. Ainda assim, o equipamento de topo da Samsung vai beneficiar do seu chip de memória de 1 TB, tornando-a difícil de bater, para já.

O equipamento da fabricante chinesa oferece um ecrã de 6,4 polegadas, prometendo uma ocupação de 91% do ecrã, devido ao notch minimalista em forma de gota de água. Já o Galaxy aposta no já famoso buraquinho no ecrã, o Infinity-O, mas mantém as mesmas 6,4 polegadas para o seu dispositivo topo de gama S10+. Claro que a Samsung fez “batota” e temos de considerar o modelo 5G na equação com o seu display de 6,7 polegadas. E com isso a Huawei também responde com o seu Mi Mix 3 5G, chegando ao mercado pouco depois do topo de gama da Samsung.

Ao nível de câmaras fotográficas, que é uma característica muito considerada, sobretudo em equipamentos premium, o Mi 9 entra na “guerra” dos sensores de 48 MP de resolução. A acompanhar, conte com mais dois sensores no conjunto: uma grande angular de 16 MP e outra de 12 MP com zoom ótico 2X.

A sombra do Huawei Mate 20 Pro

A esta altura do campeonato o Mate 20 Pro já é um “clássico”, mas o atual topo de gama da Huawei continua a ser considerado a melhor câmara fotográfica atualmente no mercado para um smartphone. Mantém o conjunto de sensores de 40 MP, 20 MP e 8 MP, tendo apostado na captura de imagens em “low light”, tem tecnologia HDR, desafiando mesmo a captura debaixo de água até dois metros, durante 30 minutos.

As boas notícias para o lado da Samsung é que o especialista em benchmark de câmaras fotográficas DxOMark já se antecipou ao lançamento do S10+ e fez o teste aos sensores do novo flagship e atesta que é tão bom como o Mate 20 Pro, tendo recebido a mesma pontuação de 109 pontos. O S10+ também tem três câmaras, uma primária de 12 MP, uma grande angular de 16 MP e uma telefoto de 12 MP. O sistema de inteligência artificial do Bixby, que melhora a experiência de capturar fotografias do Samsung também terá de provar estar ao nível do que o processador Kirin 980 oferece nos seus equipamentos. Por apenas dois pontos, o Xiaomi Mi 9 encaixa-se no terceiro lugar segundo o DxOMark, atrás do S10, mas também segundo a especialista de benchmark de câmaras fotográficas, o Mi 9 é o melhor equipamento para filmar...

No entanto, de lembrar que a Huawei vai introduzir no mercado o P30, e ao que tudo indica, irá pegar na tecnologia do Mate 20 Pro e elevá-lo ao próximo patamar.

OnePlus 6T é poderoso e mais em conta

Já se encontra à venda em Portugal o OnePlus 6T, e enquanto não é anunciado o próximo smartphone da empresa chinesa, este tem características que o tornam bem interessante. Para já, trata-se de um dos mais poderosos Android da atualidade, e segundo a ferramenta de benchmark AnTuTu, este está na oitava posição do TOP 10 de equipamentos de janeiro.

Uma das principais características de comparação ao S10 é, como já foi referido, o sensor biométrico no ecrã. Como hardware tem um processador Snapdragon 845 da Qualcomm, e a sua versão mais poderosa tem uma configuração de 8 GB de RAM e 256 GB.

O iPhone Xs Max ainda tem uma palavra a dizer na segurança

É preciso lembrar que apesar do poderio Android ser repartido por diferentes fabricantes, e daí uma competição saudável para os clientes, mas no reino da maçã o iPhone Xs Pro ainda tem características únicas, e mais não fosse o ecossistema do iOS, que continua a ser o sistema operativo favorito de muitos utilizadores. Mas de recordar que no seu lançamento, e ainda se aguarda as novidades da Apple para 2019, a sua câmara obteve uma pontuação de 105 pontos, na altura, apenas o P20 Pro, e claro, o Mate 20 Pro ultrapassaram a dispositivo, embora agora os novos S10 e Mi 9 tenham empurrado para baixo o equipamento da maçã.

Tendo em conta que a Samsung não é fã do reconhecimento facial 3D, o FaceID do iPhone continua a ser a referência para a segurança na autenticação, utilizada não só para desbloquear o equipamento, como para fazer pagamentos sem a necessidade de passwords. Isto graças ao sistema TrueDepth da câmara fotográfica, a trabalhar com a tecnologia de Neural Engine.

E o que vem mais aí?

Durante o Mobile World Congress foram feitas algumas revelações interessantes oriundas de todos os lados. A LG, por exemplo, levou o seu LG G8, o sucessor do seu flagship G7 ThinQ, apostando no sistema de som, a reclamar uma tecnologia inovadora em que utiliza o seu ecrã OLED para ampliar o áudio. O smartphone revelou ainda capacidades de interação "originais", permitindo controlar algumas funcionalidades através de gestos, que mais parecem "gestos feios ou magia" durante a nossa experimentação no MWC.

A Sony também levou o seu novo topo de gama para o MWC, demonstrando que ainda não pretende lançar a toalha ao chão, numa altura em que a sua divisão mobile está a dar prejuízo. Nesse sentido levou o Xperia 1, e é provavelmente o melhor equipamento para quem deseja consumir e produzir vídeo em 4K. Trata-se de um equipamento igualmente a utilizar o novo chip Snapdragon 855 da Qualcomm e tem 6 GB de RAM.

O Nokia 9 PureView tem no seu interior o processador Qualcomm Snapdragon 845, 6GB de RAM e 128 GB de capacidade de armazenamento interno. O ecrã é “PureDisplay” 2 pOLED, tendo carregamento Qi Wireless integrado e sensor de impressão digital. O smartphone tem também um interessante conjunto de cinco lentes na traseira e um sensor ToF (Time of Flight). Apesar de não ser do mesmo campeonato que os topos de gama dos seus rivais, este modelo assume o compromisso da Nokia em colocar-se entre os melhores. Nostalgia dos velhos tempos?

Quais os modelos que mais antecipa apresentados no Mobile World Congress? Partilhe connosco nos comentários.

O SAPO TEK está a explorar todos os espaços da Mobile World Congress 2019 e trouxe já as principais novidades e tendências, assim como anúncios de produtos, mas ainda tens mais para contar e pode continuar a acompanhar tudo aqui.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.