Até as regras do leilão 5G mudarem, a fase principal, que que definirá a atribuição de direitos de utilização de frequências nas faixas dos 700 MHz, 900 MHz, 2,1 GHz, 2,6 GHz e 3,6 GHz, promete prolongar-se. Hoje, no seu 71º dia, as licitações alcançaram os 287,555 milhões de euros, mais 942 mil euros do que o dia anterior.

A totalidade do leilão, que inclui a fase reservada a novos entrantes que terminou a 11 de janeiro, soma já mais de 371 milhões de euros, ultrapassando o preço de reserva fixado pela Anacom nos 237,9 milhões.

O interesse das operadoras voltou a centrar-se na faixa dos 3,6 GHz e hoje registam-se subidas relativas a 19 dos 40 lotes nativos do 5G disponíveis, se bem que com aumentos de preço de 1, 2 ou 3%.

A maioria dos lotes nesta faixa já valem mais de 4 milhões de euros e, em relação ao preço de reserva, constata-se uma dinâmica de crescimento que leva a aumentos a rondar no máximo os 238%, superando a valorização registada no caso dos dois primeiros lotes da faixa dos 2,6 GHz. Recorde-se que ao longo do processo, a faixa dos 2,1 GHz foi a que mais valorizou, subindo o preço mais de 400% face ao valor de reserva.

Na faixa de 700 MHz, que ficou livre após a conclusão do processo de migração da TDT, o preço de licitação mantém-se nos 19,2 milhões de euros, com um dos lotes a não receber qualquer oferta. O mesmo se passa na faixa de 900 MHz, com os quatro lotes a leilão não registaram qualquer alteração face ao preço de reserva.

Para evitar o prolongamento excessivo do leilão, a Anacom propôs fazer uma alteração ao regulamento do processo. Porém, a decisão não foi bem recebida pelas operadoras: tanto a Altice Portugal, como a NOS e a Vodafone manifestaram-se negativamente, criticando a atitude da entidade reguladora e ameaçando com processos em tribunal.

5G: 24 países da UE já lançaram serviços comerciais. Portugal continua a sua “longa travessia” no leilão
5G: 24 países da UE já lançaram serviços comerciais. Portugal continua a sua “longa travessia” no leilão
Ver artigo

Embora Portugal seja um dos três países da União Europeia que ainda não lançou serviços comerciais de 5G, operadoras como a MEO, NOS e Vodafone dizem estar prontas a avançar e já têm campanhas na rua e projetos de cobertura de recintos culturais e desportivos com redes móveis de quinta geração.

A Altice Portugal deu a conhecer ontem que vai garantir cobertura 5G no Estádio do Dragão, Altice Arena, Cidade do Futebol e Autódromo do Algarve. No mês passado, a NOS revelou também uma parceria com o Sport Lisboa e Benfica sobre a cobertura do Estádio da Luz com rede 5G. Antecipando o lançamento do serviço comercial, a operadora já revelou alguns dos seus produtos 5G, incluindo um serviço de streaming de videojogos e música ao vivo em realidade virtual, no evento 5G Experience by NOS.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.