O 5G promete mudar o paradigma da tecnologia no futuro, seja a condução autónoma, a inteligência artificial, as casas e cidades inteligentes, os dispositivos IoT, e muitas áreas tocadas pela tecnologia. Obviamente que a velocidade da internet será o “combustível” para tudo funcionar, e neste caso pode chegar aos 20 Gbps, garantindo maior cobertura, até 500 quilómetros, e uma latência próxima de 1 ms. Já para não falar da possibilidade de ter cerca de um milhão de smartphones ligados por quilómetro quadrado.

Em Portugal já se testa 5G próximo de 1,5 Gbps e as operadoras estão na linha da frente para tirarem partido da tecnologia, podendo ser Aveiro a primeira cidade a garantir cobertura.

No que diz respeito a smartphones, que fabricantes e dispositivos já prometeram adiantar-se à próxima geração? Diversas empresas já manifestaram interesse no 5G e diferentes modelos preparados para advento poderão ser lançados já no próximo ano. Resta saber quem vai receber o título de “o primeiro smartphone 5G no mercado”.

A Huawei tem sido uma das fabricantes a manifestar interesse não só a estar entre os primeiros, como a ajudar nos alicerces da tecnologia 5G. Em Itália, por exemplo, a cidade de Bari, graças à sua tecnologia, foi a primeira a receber uma base 5G, baseada no standard para uso comercial, prometendo cobertura na cidade até ao final do ano. Este é um dos exemplos do compromisso da fabricante chinesa com a tecnologia, referindo que desde 2009 já investiu 600 milhões de dólares no 5G.

UE avança com chamadas mais baratas, reforço do 5G e sistema de alerta para catástrofes
UE avança com chamadas mais baratas, reforço do 5G e sistema de alerta para catástrofes
Ver artigo

Como propostas de smartphones, a fabricante ainda não mostrou as suas cartas todas, esperando-se inicialmente que a próxima geração do Mate, previsto para o primeiro semestre de 2019 seja o porta-estandarte da empresa, isto se a explosão dos smartphones dobráveis não chegar primeiro. Foi Richard Yu, o CEO da Huawei que revelou durante o evento de lançamento do Mate 20 Pro, que estaria a trabalhar em telefones 5G dobráveis que pode ser uma das estrelas do Mobile World Congress do próximo ano. A Honor, subsidiária da Huawei, também poderá lançar uma versão modificada do Magic 2 preparado para a nova geração mobile.

A Samsung é um potencial candidato também a marcar posição na quinta geração, sobretudo pela sua liderança no fabrico de semicondutores, tendo já anunciado o fabrico dos chips de 7 nanómetros, que serão a base dos equipamentos 5G. Os circuitos vão ocupar menos 40% de superfície e consumir menos que os atuais de 10nm.

No que diz respeito a equipamentos, a família Galaxy S10 terá no seu modelo de topo, o representante para a entrada da fabricante sul-coreana no 5G. Ainda que sejam rumores, estes quase sempre batem certo com os anúncios oficiais da fabricante. Mais uma vez, os equipamentos podem surgir durante o próximo MWC.

É sabido que a LG gosta de um bom desafio tecnológico, e o título de ser a “primeira a lançar um 5G” poderá acontecer pelo menos nos Estados Unidos graças a uma parceria com a Sprint, segundo a Android Authority, e será suportado pelo novo chip da Qualcomm e modem X50. Não existe ainda nenhum smartphone anunciado, mas os especialistas apontam para um modelo LG G7 adaptado, ou a introdução de um eventual G8.

O negócio mobile da Sony já viu melhores dias, mas a gigante nipónica ainda não mandou a toalha ao chão e está no grupo das fabricantes que vai utilizar o novo chip da Qualcomm. Obviamente que para além dos dispositivos móveis, a empresa necessita de entrar no barco do 5G para alimentar o streaming do seu catálogo de filmes e videojogos na PlayStation 4, até porque os utilizadores continuam à espera do serviço PlayStation Now a funcionar a 100%. Quanto a equipamentos, nada de concreto, mas há muito que se fala de um eventual PlayStation Phone, que bem poderia ser um “rebrand” da sua linha Xperia, dadas as funcionalidades que tem vindo a “pedir emprestado” à sua consola doméstica.

A Lenovo, segundo o seu CEO Chang Cheng também vai ser “a primeira do mundo” a lançar um smartphone 5G, estreando o novo chip Snapdragon 855, que está em produção desde junho. A revelação de um modelo? Para já fica a intenção e a promessa de que na próxima MWC deverá haver grandes novidades. A fabricante também está a preparar um dos modelos da sua subsidiária Motorola para o 5G: o Moto Z3, lançado no verão. Trata-se de um equipamento modelar compatível com o módulo 5G previsto para o próximo ano. O smartphone poderá, no entanto, estar desatualizado na altura, abrindo caminho para o eventual Moto Z4, que está em produção com o nome de código Odin. Este novo flagship da fabricante deverá ter o novo processador Snapdragon 855.

A Nokia, ou melhor, a HDM Global também consta na lista de empresas a arrancar em 2019 o fabrico de dispositivos 5G com o novo chip da Qualcomm e o modem X50. Já a Nokia mantém uma posição muito importante nas infraestruturas de quinta geração, tendo obtido recentemente um financiamento de 500 milhões de euros junto do Banco de Investimento Europeu.

Autocarro autónomo com ligação 5G “arranca” pelas ruas de Aveiro
Autocarro autónomo com ligação 5G “arranca” pelas ruas de Aveiro
Ver artigo

A Xiaomi lançou em outubro o Mi Mix 3, prometendo uma versão com suporte a 5G no início de 2019, juntando-se, claro, ao “fado” do primeiro dispositivo de quinta geração no mercado. Como curiosidade, é o único modelo concreto anunciado com 5G. E a guerra no território chinês está acesa, com outras fabricantes rivais a prometerem ter uma palavra a dizer. A OnePlus também tem parceria com a Qualcomm e pretende anunciar os seus planos para o 5G no início do ano. Poderá ser uma versão alterada do OnePlus 7, ou outro produto novo a ser revelado.

Já a Oppo prepara-se para um 2019 risonho em termos tecnológicos. Será também a “primeira a lançar um smartphone 5G”, alegando mesmo ter sido a primeira fabricante a ligar-se a uma rede 5G através de um smartphone, utilizando uma versão modificada do Oppo R15, como demonstra esta fotografia. E ainda pretende meter umas quantas cerejas no topo, tais como 10 GB de RAM e 250 GB de armazenamento interno do Oppo Find X e entrar na corrida dos smartphones dobráveis.

A Vivo também já se encontra a testar 5G com versões modificadas dos seus equipamentos, neste caso o Vivo Nex, equipado com um modem X50 da Qualcomm. A diferença concreta nos seus planos é que “não será a primeira fabricante” a lançar um 5G…

A HTC também está no grupo restrito de fabricantes a usufruir o novo chip da Qualcomm e a testar o modem X50. A empresa não anunciou um equipamento em concreto, mas necessita de uma solução viável, pois continua a perder o fôlego num mercado onde já deu cartas. A estratégia da fabricante poderá, no entanto, manter-se ligada à realidade virtual e beneficiar do 5G em futuros equipamentos Vive.

A ZTE poderá ficar para trás no comboio do 5G, tendo em conta a proibição dos Estados Unidos do grupo chinês comprar componentes norte-americanos durante os próximos sete anos. E neste caso, inviabilizar o acesso à tecnologia da Qualcomm. No entanto, a tecnológica chinesa poderá estar a construir a sua própria solução 5G, previsto para o final de 2019, segundo a Android Authority.

Anacom quer problemas da TDT resolvidos antes da migração para o 5G
Anacom quer problemas da TDT resolvidos antes da migração para o 5G
Ver artigo

Embora o lançamento de smartphones a acompanhar as tendências tecnológicas não seja propriamente a estratégia da Google, um eventual Pixel 4 com suporte 5G só ficaria bem à gigante de Mountain View. Mesmo que não tenha um equipamento, a empresa vai certamente querer demonstrar os seus serviços e tecnologias assentes em inteligência artificial, machine learning e cloud computing, e o 5G será chave no processo.

Por fim, ainda existem outras fabricantes que podem ver o 5G como uma oportunidade imperdível para o gaming. Neste campo podem entrar no mercado novas entradas do Razer Phone e do Asus ROG Phone, que poderiam beneficiar das rápidas ligações do 5G para oferecer jogos on demand via streaming. O que na prática poderia beneficiar qualquer fabricante, já que o processamento dos jogos é feito na cloud…

Certamente que vai ser possível saber mais novidades sobre smartphones e dispositivos 5G na próxima edição do CES, que decorre já durante os dias 8 e 12 de janeiro em Las Vegas, e depois no World Mobile Congress e Barcelona entre 25-28 de fevereiro. Só nessa altura, provavelmente iremos ficar a saber quem é a “primeira fabricante do mundo” a lançar um smartphone 5G.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.